Em janeiro e fevereiro, 18 armas foram apreendidas por dia no Ceará

No Ceará, 1.067 armas de fogo foram apreendidas pela Polícia em janeiro e fevereiro. Houve queda de 8,8% em comparação com fevereiro de 2014. Mais da metade delas foi apreendida no Interior



No intervalo entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano, uma média de 18 armas de fogo foi apreendida por dia no Ceará. Ao todo, 1.067 equipamentos foram recolhidos pelas Polícias Militar e Civil do Estado. Somente em fevereiro último, foram 519 apreensões. Com relação ao mesmo mês do ano passado, houve queda de 8,8% na quantidade de armas apanhadas com criminosos.

Mais da metade das armas (52,2%) estavam na Região Sul do Estado, mais precisamente na Área Integrada de Segurança (AIS) 11, encabeçada pelo município de Juazeiro do Norte, a 493 km de Fortaleza. Aquela região está recebendo uma atenção especial da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) desde o mês passado por conta dos elevados índices de criminalidade locais.

Somente no último fim de semana, uma operação conjunta da PM e da Polícia Federal resultou na apreensão de 568 quilos de drogas na cidade de Barbalha, cidade vizinha a Juazeiro que também faz parte da AIS 11. Ainda em janeiro, a área também aparecia em primeiro lugar no ranking de apreensão de armas no Estado, com 77 ocorrências.

Para o comandante-geral da PM, coronel Geovani Pinheiro, as apreensões se deram por conta da intensificação das abordagens que vêm sendo feitas desde o ano passado, principalmente, em condutores de motocicletas. “Não temos como identificar se alguém está portando uma arma, seja no carro ou moto. Por isso, montamos várias blitze e barreiras, fazendo abordagens rotineiras. Como a maioria dos casos de roubos e furtos é praticada por indivíduos de moto, eles são prioridade. Estimamos que 60% dessas armas tenham sido apreendidas com motociclistas”, afirmou.

Sobre a Região Sul, o coronel afirmou que os índices de criminalidade locais também já foram reduzidos. “Tudo isso devido à força-tarefa e às ações de segurança que foram reforçadas naquela área do Estado”, avaliou.

Capital

Fortaleza concentrou 155 ocorrências das apreensões registradas em fevereiro. Em janeiro, 190 armas haviam sido apreendidas na Capital. Na AIS 1, que inclui bairros como Barra do Ceará, Centro e Quintino Cunha, 40 armas foram apreendidas. Já na Região Metropolitana, a AIS 8, onde ficam os municípios de Maracanaú, Maranguape, Itaitinga, Pacatuba e Guaiuba, 37 armas foram recolhidas.


O que a lei prevê

Todas as armas apreendidas, por lei, devem ser entregues às Forças Armadas para serem destruídas. Segundo a resolução 134 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por serem consideradas provas de processos judiciais, após a elaboração dos respectivos laudos periciais, devem ser enviadas pela Comissão de Segurança Permanente do Poder Judiciário à 10ª Região Militar. A remessa das armas ao Comando Militar deve ocorrer, pelo menos, duas vezes ao ano.

Gratificação


Os profissionais de segurança pública do Ceará recebem gratificação por arma de fogo apreendida. Conforme decreto governamental de maio de 2013, o valor pago varia de R$ 400 a R$ 800 de acordo com a arma . via grupo notícias e informações


Fonte: O Povo

Comentários