Deputado Cabo Sabino denuncia desperdício de dinheiro em Juazeiro do Norte


Na tarde dessa terça-feira (23/06), o deputado federal Cabo Sabino denunciou em plenário na Câmara dos Deputados, a situação do desperdício de dinheiro público na região do Cariri, mais precisamente em Juazeiro do Norte, que chega a quase 4 milhões.
A Secretária de Saúde do Ceará, entregou cerca de 17 ônibus que seriam utilizados para o transporte de pacientes eletivos. Após vários meses de espera, os veículos  ainda encontram-se armazenados na sede do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).
O desperdício citado está em torno de 4 milhões de reais, sendo cada ambulância avaliada em torno de 227 mil reais. O deputado Cabo Sabino, ao saber da situação, solicitou informações ao Governo do Estado do Ceará para entender e saber a responsabilidade do governo em relação ao caso, também entrou em contato com o Governo Federal e a Prefeitura de Juazeiro do Norte, mas não obteve sucesso.
O Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, esclareceu ao parlamentar que a verba era federal com financiamento do Banco Mundial e que após a entrega dos veículos era necessário um prazo para licenciar e emplacar as ambulâncias. Lembrando que o prazo para essa regularização começar, seria após o dia 30 de março, no qual os consórcios iniciaria a contratação de funcionários.
De acordo com Cabo Sabino, é uma injustiça, pois enquanto tem pessoas humildes e doentes que necessitam do serviço, existem os meios, mas não estão disponíveis e estas pessoas ficam no esquecimento das autoridades. “O descaso com o Nordeste é visível, o abandono do povo sofrido pelo Ministério da Saúde é revoltante, nem se quer deu retorno ao nosso ofício quanto mais solucionar o problema. Enquanto isso, 18.300 pessoas que seriam atendidas diretamente estão sem transporte, sem amparo do estado e da união”, relata o parlamentar.
Ainda hoje, o deputado protocolou a denúncia no Ministério Público Federal sobre o assunto, afim de que o ministério possa adotar as medidas punitivas, bem como cobrar dos responsáveis a devida atenção que o caso requer.
assessoria de imprensa

Postar um comentário

0 Comentários