sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Profissionais da Saúde finalizam Curso de aperfeiçoamento e qualificação de Educação Popular em Saúde – EdpopSus


O município do Crato sediou, na manhã de ontem, quinta-feira (7), o encerramento do Curso de Aperfeiçoamento e Qualificação em Educação Popular, conhecido por EdpopSUS. Executada pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), a capacitação foi oferecida aos Agentes Comunitários de Saúde, dentre outros profissionais da saúde.

De acordo com o Ministério da Saúde, a Educação Popular em Saúde é uma prática voltada para a promoção, proteção e a recuperação da saúde a partir do diálogo entre a diversidade de saberes, valorizando os saberes populares, a ancestralidade, a produção de conhecimentos e a inserção destes no SUS.

O Crato foi um dos 12 municípios de Estado contemplados com a formação e representa o território do Cariri, que compreende ainda, Juazeiro do Norte e Barbalha. Pelo menos 35 participantes fizeram a capacitação, maior parcela do município cratense. De acordo com o educador popular Alex Josberto Sampaio, o curso é uma estratégia para que os municípios possam implementar as políticas de educação popular em saúde.

Alex explica ainda que foi feita seleção para que os profissionais pudessem participar do curso. A capacitação durou 17 encontros, além do tempo na comunidade, destinado a aplicação prática do que foi vivenciado durante os encontros. Para o educador, “o curso tocou a vida das pessoas, não só dos educandos, mas das pessoas que vivem nos territórios, onde foram implicadas nos processos”, conta.

A oportunidade do curso foi importante para Ana Paula Aquino, agente comunitária de saúde que atua na zona rural do Crato. Ela conta que a experiência foi construtiva. Segundo ela, cada território tem suas particularidades, e o resgate da cultura deve existir como elemento de promoção de saúde. “As rodas de conversa com os mais velhos, dá ouvido aquele tratamento que eles usavam antigamente de usar as ervas, os chás, as garrafadas, a escuta faz parte da saúde”, considerou.

O secretário de saúde André Barreto acompanhou a finalização e disse que o curso é importante por ser um olhar para os saberes populares da comunidade. Segundo o gestor, os agentes, agora formados, serão capazes de ampliar o trabalho e a capacidade de atuação junto aos usuários do SUS. “A saúde não é só remédio, tecnologia, mas a saúde é espiritualidade, é convivência, família. É o seio onde as pessoas estão inseridas”, avalia.

Informações da assessoria de comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário