Chuvas recarregam açudes Castanhão e Orós no Ceará


O açude Castanhão é o maior e mais importante
reservatório do Ceará. FOTO: Julio Caesar
Os últimos dias trouxeram boas notícias para o cearense em relação ao abastecimento hídrico. Nos últimos sete dias, o Castanhão foi o açude que recebeu maior aporte, com 36,4 milhões de metros cúbicos.

Descontado aquilo que evaporou e o volume de água liberado, o volume do açude aumentou 28 milhões de metros cúbicos. Essa quantidade representa crescimento de 0,82% no volume total. Embora pareça pouco, é significativo diante do tamanho do Castanhão.

Com isso, pela primeira vez neste ano, o nível do maior e mais importante reservatório do Ceará passou de 5% pela primeira vez neste ano. No acumulado do ano, o Castanhão acumula aporte de 127,7 milhões. O atual volume do Castanhão é de 339,3 milhões de metros cúbicos.

Orós A notícia é boa também no segundo maior açude do Estado, O Orós. O reservatório tem tido crescimento significativo ao longo do mês de abril. Passou de 5,25% no dia 1º deste mês para 8,14% nesta segunda-feira, 15. Nos últimos sete dias, o Orós recebeu aporte de 32,4 milhões de metros cúbicos. Nos últimos sete dias, o aporte do Orós só foi menor que o do Castanhão. Desde o início do ano, o Orós recebeu 63,4 milhões de metros cúbicos. O que significa que, na última semana, o açude recebeu mais da metade da água que entrou desde 1º de janeiro.

No acumulado do ano, todavia, o açude com maior aporte no Ceará é o Araras, localizado em Varjota, na Zona Norte do Estado. Desde 1º de janeiro, o reservatório acumulou 265,7 milhões de metros cúbicos. Atualmente, o Araras está com 48% da capacidade.

O Ceará tem hoje 32 açudes sangrando e outros dois estão próximos da capacidade máxima.Açudes sangrando:Acaraú Mirim; Angicos; Barragem do Batalhão; Batente; Caldeirões; Cauhipe; Cocó; Diamantino II; Gameleira; Gangorra; Gavião; Germinal; Gomes; Itapajé; Itapebussu; Itaúna; Jenipapo; Maranguapinho; Missi; Patos; Poço Verde; Quandú; S. Pedro Timbaúba; Santo Antônio de Russas; São José I; São Vicente; Sobral; Tijuquinha; Trapiá III; Tucunduba; Valério; e Várzea da Volta.

Açudes mais perto de sangrar:Premuoca: 98,58% e Colina: 92,3%
Há, porém, 21 açudes no volume morto e seis que estão secos. Com as recentes chuvas, o Potiretama deixou de estar seco.

(O Povo)

Comentários