CAPS realiza ação sobre o Dia Nacional da Luta Antimanicomial


Com o objetivo de destacar a importância da Luta Antimanicomial, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizou na manhã da quarta-feira (15), a 1ª Feira da Luta Antimanicomial, com o tema, “Aqui somos todos loucos, loucos uns pelos outros”. A ação contou com palestras, apresentações artísticas, produzidos pelos próprios pacientes e na sexta feira (17), será encerrado a ação com uma caminhada que sairá da Praça Siqueira Campos.

Segundo a enfermeira do CAPS, Suzamelia Brito, este dia representa a garantia dos direitos para quem sofre de transtorno mental. “Precisamos conscientizar as pessoas que desconhecem o tema. O paciente que passa pelo sofrimento mental, além do cuidado e tratamento adequado, também tem o direito à liberdade. Vamos combater a ideia do isolamento dessas pessoas,” finaliza a enfermeira.

Suzamelia destaca ainda que a mobilização tem o intuito de despertar a atenção da sociedade para ajudar no combate ao preconceito sofrido pelos pacientes, tanto na sociedade quanto pela própria família.

O dia 18 de maio marca, no Brasil, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A data foi instaurada no final da década de 80, durante um congresso de trabalhadores de saúde mental, e deu visibilidade ao movimento, inaugurando uma nova trajetória da proposta de reforma psiquiátrica brasileira.

O evento contou com a participação da assistente social Marta Glaucy; do farmacêutico Jorge Ernesto Salviano; do educador físico Nathan Lopes; da psicóloga Poliana Fructuoso; da professora de saúde mental, Aretha Feitosa e estagiários do curso de enfermagem.

Para o educador artístico, Yarlei Tavares, atividade cultural é fundamental para os pacientes com transtornos, uma vez que desenvolvem a capacidade de relacionamento interpessoal. “Quando a gente promove uma ação cultural, percebemos que o comportamento dos pacientes melhora muito porque uma das metas do CAPS é a reintegração social. Promovemos atividades que além da socialização, promovem o desenvolvimento cognitivo e mental dos pacientes”, conclui.

No período da tarde, foi realizada a palestra voltada para os direitos dos pacientes atendidos pelo CAPS, com Phillpe Nery dos Santos, membro da comissão de defesa dos direitos da pessoa com deficiência, da OAB Subseção Crato; Areta Feitosa, doutoranda em cuidados clínicos em enfermagem e Ingrid Caroline, advogada de direito previdenciário.

Informações da assessoria de comunicação

Comentários