Comenda Patativa do Assaré homenageará artistas do Cariri


FOTO: Fernando Travessoni

O Conselho Estadual de Política Cultural do Ceará (CEPC) aprovou, na manhã desta quinta-feira (23), em reunião ordinária, a lista de nomes agraciados com a Comenda Patativa do Assaré. São eles: a folclorista Elzenir Colares, o repentista e poeta Pedro Bandeira, e o também poeta popular Geraldo Gonçalves (em memória).

As indicações foram abertas ao público, feitas online, sendo acompanhadas de justificativa do mérito dos nomes sugeridos. Os indicados foram avaliados por uma Comissão de Seleção composta por sete membros: três integrantes do Conselho Estadual de Política Cultural do Ceará (CEPC);  dois integrantes da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult); um representante da Universidade Regional do Cariri (URCA); e um representante da Fundação Memorial Patativa do Assaré.

A condecoração é dada a personalidades, artistas, poetas, cantadores, pesquisadores (as) que se destacaram por suas relevantes contribuições à Cultura Popular Tradicional. A data e local da cerimônia de entrega da Comenda será divulgada em breve pela Secult.
Os indicados devem preencher os seguintes requisitos: distinguir-se por sua atuação no âmbito da cultura popular tradicional; ser autor de trabalho de notório mérito no âmbito da cultura popular tradicional. Eles poderão estar ativos, aposentados ou ainda “in memoriam”.

Conheça os agraciados com a Comenda:  Elzenir Colares: Coordenou o Grupo de Tradições Cearenses por 45 anos. A professora, pesquisadora e artista, concebeu montagens baseadas no folclore cearense. Os espetáculos exploram a música, dança, costumes e causos da cultura popular colhidos em todo o Ceará. Algumas montagens de sucesso foram: “No Ceará é Assim”, “Eita Ceará Pai D’égua” e “Festa de Padroeiro”.

Em 1995, recebeu a maior comenda do município de Fortaleza, a Medalha Boticário Ferreira. Elzenir Colares formou uma geração de estudiosos do folclore de sua terra e atualmente mais de uma dezena de grupos de vivência da cultura popular existentes em Fortaleza tiveram o seu ideal como ponto de partida. Em 12 de outubro de 2019, o Grupo de Tradições Cearenses irá completar 53 anos.

Pedro Bandeira: Pedro Bandeira Pereira de Caldas nasceu a 1º de maio de 1938, no Sítio Riacho da Boa Vista, no município paraibano de São José de Piranhas, sendo filho de Tobias Pereira de Caldas e da poetisa Maria Bandeira de França. É neto materno do famoso cantador nordestino, Manoel Galdino Bandeira, de quem herdou o talento  repentista.

Recebeu o título de Tesouro Vivo da Cultura do Ceará, concedido pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, em 2018. Aos 6 anos de idade já fazia versos, e aos 17 tornou-se cantador profissional, formou-se em Letras, Teologia e Direito. É poeta, repentista, cantador, cordelista, escritor, radialista e apresentador de televisão, conhecido como o “Príncipe dos Poetas Populares do Nordeste”.

Geraldo Gonçalves (em memória): Assim como seu primo Patativa, Geraldo Gonçalves nasceu em Assaré, na Região do Cariri, em setembro de 1945. Faleceu com 72 anos, dos quais grande parte foram dedicados à elaboração de trabalhos na literatura popular, literatura de cordel, declamações poéticas, sonetos, trovas e composições de músicas.

Fundador da Academia de Letras e Literatura Popular Patativa do Assaré, e parceiro de pelejas de Patativa. Foi reconhecido por sua vasta contribuição à cultura popular tradicional cearense como Mestre dos Saberes e Fazeres da Cultura Popular, pela Secult de Assaré e Tesouro Vivo da Cultura do Ceará, título concedido pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, em 2018.      

(Diário do Nordeste)

Comentários