Greve geral decretada em Juazeiro do Norte


São aproximadamente 2.120 mil servidores das mais diversas categorias que cruzam os braços pedindo melhoria de salários e condições de trabalho

Os servidores de Juazeiro do Norte decretaram greve geral no funcionalismo público do Município. A assembleia que definiu a paralisação ocorreu manhã desta quinta-feira, 09, no Centro de Referência Especializada em Saúde do Trabalhador (CEREST). Por maioria absoluta, os trabalhadores rejeitaram a proposta da gestão municipal, que deixaria de fora dos benefícios mais de 800 trabalhadores.

São aproximadamente 2.120 mil servidores das mais diversas categorias que cruzaram os braços pedindo melhoria de salários e condições de trabalho e saúde. Servidores que atuam na educação, segurança pública e fiscalização estão envolvidos no processo de greve. Os professores não estão incluídos na paralisação, mas com a ausência dos serviços desenvolvido pelos trabalhadores, as aulas também poderão ser inviabilizadas.

Na última sexta-feira (3), as categorias haviam aprovado uma proposta construída com representantes do sindicato e da própria gestão. No entanto, o governo enviou proposta de reajuste linear de 4,61%, e deixa de fora 275 guardas municipais e 624 servidores que ganham salário mínimo. Conforme o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Juazeiro do Norte (SISEMJUN), Marcelo Alves, a proposta contraria os dois principais pontos solicitados pelos servidores, reajuste acima de 5% e contemplação para todas as categorias.

A paralisação está prevista para ocorrer a partir do dia 21 de maio, conforme Marcelo Alves. A data estabelecida se alinha ao Dia Nacional em Defesa da Educação. E assim, a notificação à Prefeitura será atrasada para o dia 15, coincidindo com a manifestação e os serviços serão descontinuados 72 horas depois.

Site badalo / Adriano Duarte

Comentários