Procura por vacina da gripe causa filas e tumultos em postos e hospitais de Juazeiro


Juazeiro do Norte recebeu novas doses de vacinação da gripe, que começaram a ser distribuídas nesta segunda-feira, 10. Apesar de terem chegado 8.800 doses, elas não são extras, segundo a Secretaria de Saúde, e estão direcionadas exclusivamente à imunização de crianças, idosos e grávidas.
A grande procura gerou filas, reclamações e tumultos em alguns postos de saúde e hospitais da cidade, requerendo até a guarda civil para amenizar a situação.

A vendedora Ana Ingrid Alves, que estava com seu filho esperando pela imunização, afirma em entrevista ao Jornal Progresso, que no local havia cerca de 200 crianças esperando pela vacinação.
Já a comerciante Ana Célia Feitosa, que também foi atrás da imunização, afirma que mesmo estando com documentos que comprovavam o uso de medicação para artrite reumatoide, não conseguiu ser vacinada. “Precisa de prescrição médica”, diz a vendedora ao Jornal Progresso.

Segundo a coordenadora de imunização de Juazeiro do Norte, Márcia Rejane Rodrigues, o problema se deu porque toda a população procurou os centros de saúde ao mesmo tempo, “a estrutura não comporta”, diz ela.
Márcia ainda enfatiza que o município não recebeu vacinas para atender a todos. Ela afirma que, como a meta de imunização do grupo de pessoa com comorbidade (doenças que necessitam de vacinação da gripe) foi tingida, as vacinas se destinam agora exclusivamente às crianças maiores de seis meses e menores de seis anos, gestantes e idosos acima de 60 anos.

Algumas profissões também se encaixam no grupo de risco, como policiais e professores, mas pela pouca disponibilidade das doses, não estão sendo atendidos neste momento. “Não temos como atender comorbidades, professores e profissionais de saúde”, diz Márcia ao Jornal Progresso.
Ela ainda orienta quem se sentir prejudicado a recorrer ao Ministério Público ou da Saúde, e que o Município é responsável apenas pela distribuição, já tendo solicitado novas doses ao governo. “Não precisa pânico, não estamos em surto”, completa Márcia.              

(Fonte: Site Badalo)

Comentários