Saúde deve normalizar oferta de soro antiofídico no Cariri


Diante do comprometimento na oferta de soro antiofídico em todo país, o Ministério da Saúde informou ao Jornal do Cariri, através de nota, que a normalização deve acontecer gradativamente, a partir do mês de agosto. Até meados de julho, mais de mil casos foram registrados em áreas do Cariri, conforme informações divulgadas pela Secretaria de Saúde, por meio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde. O esperado é que a distribuição aconteça e alcance todo o território.

Na 19ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRES), nas redondezas de Brejo Santo, ocorreram 124 notificações em Abaiara e 65 em Jati. Em Brejo Santo foram duas. Já na 20ª e na 21ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRES), que abrangem as redondezas de Crato e Juazeiro, respectivamente, 512 e 1.196 acidentes com animais peçonhentos foram registrados. Na primeira área, Altaneira lidera os casos, com 257 ocorrências, seguida por Farias Brito e Várzea Alegre, com 145 e 56 registros, respectivamente. Na 21ª CRES, 363 casos aconteceram em Juazeiro, 251 em Barbalha e 40 em Caririaçu.

De acordo com o Ministério da Saúde, a produção dos soros foi impactada pela redução da capacidade produtiva de dois laboratórios públicos: a Fundação Ezequiel Dias (FUNEB) e o Instituto Vital Brasil (IVB), que estão passando por obras de reforma, atendendo recomendações da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Todos os esforços possíveis estão sendo feitos para realizar a distribuição de soros antiofídicos no país, entre eles o antibotrópico”, afirma a nota.

Ainda conforme a publicação, o Ministério da Saúde firmou acordo com o Instituto Butantan, para o aumento da produção dos imunobiológicos e vem trabalhando, juntamente com os laboratórios produtores, na discussão dos cronogramas de entregas dos soros para os próximos meses. Para o Ceará, foi programado o envio de 1.960 ampolas. Em 2019, 90,1 mil ampolas de soros antiofídicos foram distribuídas aos estados (englobando soros antibotrópicos, anticrotálicos, antihelapídico, antibotrópico/laquéticos e antibotrópico/crotálico).

Primeiros socorros Com picadas causadas por animais peçonhentos, as recomendações do Ministério da Saúde incluem lavar o local com água e sabão; não amarrar, corta ou aplicar folhas, pó de café ou terra sobre o local da picada; manter a vítima sentada ou deitada; em casos de picada no braço ou na perna, o aconselhável é manter a os membros em posição mais elevada. As preservações, por sua vez, incluem manter quintais e terrenos limpos, e ter atenção ao andar em campos e matas.

(Fonte: Jornal do Cariri)

Comentários