Vereador cria projeto de lei para impedir que goleiro Bruno seja contratado pelo Barbalha


Vereador Rildo Teles. FOTO: Silva Neto-diariodocariri.comA enquete feita pelo Barbalha Futebol Clube nas redes sociais sobre uma possível contratação do ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, gerou grande polêmica. O fato de o jogador ter sido condenado pelo assassinato da ex-companheira Eliza Samúdio gerou inúmeros comentários negativos.

Na região do Cariri foram muitas as manifestações de repúdio pela a possibilidade dessa contratação.
Segundo o presidente do Barbalha, Geisilúcio Gonçalves, tudo iria depender do resultado da enquete. No final foram 58% favoráveis a contratação e 42% contrários.

Questionado se a maior parte dos votos não teriam sido de fora da região devido a enquete ter sido pela internet, e, portanto, muita gente que não torce o clube teria votado, o presidente disse apenas que isso era uma coisa, a qual ele não tinha como controlar.

Recentemente Bruno assinou contrato com o Poços de Caldas de Minas Gerais, mas o vínculo com o clube mineiro é só até o fim do ano. As conversas com a Raposa Caririense são para a temporada de 2020 e o jogador chegou a declarar que tem interesse de vestir a camisa do Barbalha. Mas, essa contratação pode ser impedida por força de lei municipal.

A lei N° 2.406/2019, proíbe a Prefeitura Municipal de Barbalha, no artigo primeiro, a nomeação, no âmbito da administração pública direta ou indireta, bem como todos os poderes do município de Barbalha, para todos os cargos comissionados, pessoas que tiverem sido condenadas na Lei Maria da Penha. Essa lei não implica em nada ao clube do Barbalha. Mas, o vereador Rildo Teles deu entrada em um projeto de lei, que deverá ser lido nesta quinta-feira (05) que altera a lei vigente.

O parlamentar quer acrescentar o inciso segundo ao primeiro artigo com o seguinte texto: “As mesmas vedações se aplicam para o repasse de recursos do Tesouro Municipal à Empresas e Instituições Privadas, com ou sem fins lucrativos que tenham entre seus sócios, diretores, membros, empregados ou contratados, pessoas que tiverem sido condenadas nas condições previstas na Lei Federal n° 11.340, de 07 de agosto de 2006 – (Lei Maria da Penha) ou tenham cumprido ou estejam no cumprimento de pena de prática, o crime de feminicídio previsto no inciso VI do artigo 121 do Código Penal Brasileiro”.

O vereador também coloca uma página com a justificativa para que os parlamentares sejam convencidos a votar no projeto de lei.

Rildo Teles disse que apoia o Barbalha, mas não pode aceitar que algo tão ruim aconteça com o clube. Afirmou também que o Cariri sofre com o feminicídio e que a região necessita de atitudes para coibir essa prática e espera que a câmara municipal de Barbalha possa contribuir, aprovando esse projeto de lei.

Caso a lei seja aprovada pelos vereadores e sancionada pelo prefeito Argemiro Sampaio, a diretoria terá que fazer uma escolha. Ou contrata o goleiro Bruno ou fecha convênio com o município para a temporada de 2020.

A Prefeitura Municipal de Barbalha é o principal parceiro da Raposa Caririense. A expectativa de alguns dirigentes é que, para o ano que vem, o município possa fechar, para as disputas do Campeonato Cearense, um convênio em torno de R$ 200.000,00.

Sobre esse projeto de lei o presidente do Barbalha, Geisilúcio Gonçalves, disse que por enquanto não iria comentar, pois não havia nada de concreto. Ele destacou que o vereador Rildo Teles é parceiro do Barbalha e caso esse projeto de lei, realmente seja aprovado, a relação dele com o vereador não mudará em nada.
(Fonte: Site Badalo)

Comentários