Ações que visa combater a leishmaniose canina acontecem em Crato


A Secretaria de Saúde do Crato, por meio da Coordenação Especial de Vigilância em Saúde, está realizando ações do controle a leishmaniose no Distrito do Belmonte, nas localidades da Bebida Nova e Sítio Corujas.

Na manhã de ontem, segunda-feira (10), uma equipe composta por agente comunitário de saúde, agente de endemias e técnicos em zoonoses administrou serviços de sorologia canina para diagnóstico clínico.

Para a agente comunitária de saúde Edênia Teles, trata-se de um trabalho de conscientização e sensibilização. “A comunidade precisa estar informada sobre os perigos da leishmaniose e, também, como se prevenir”, ressalta.

Doença grave e endêmica no Brasil, a leishmaniose visceral (calazar) é uma doença que pode ser transmitida aos animais e seres humanos pela picada de um mosquito.“O calazar é uma doença muito perigosa, que pode matar o animal e pôr em risco a vida das pessoas que convivem com ele”, explica o agente de endemias do Centro de Zoonoses, Wagner Mesquita.

A leishmaniose canina, também conhecida por calazar, é uma zoonose, ou seja, atinge os animais e os humanos. É causada por diferentes espécies de protozoários do gênero Leishmania, transmitidos aos homens e animais por meio de um mosquito chamado flebótomo, popularmente conhecido como mosquito-palha, que está frequentemente presente em regiões quentes e úmidas.

Para evitar a propagação da leishmaniose, aconselha-se primeiramente evitar a proliferação do mosquito-palha, mantendo o ambiente limpo, livre de entulhos e acúmulo de lixo. Higiene e limpeza são fundamentais para diminuir a incidência do mosquito. O uso de telas em portas e janelas também é recomendado. Outra dica é passear com o seu cachorro durante o dia, já que os mosquitos são mais ativos na parte da noite. 

via News Cariri

Comentários