Ceará é responsável por metade dos projetos de geração energia a partir do vento


O Ceará mostra bons números quando o assunto é o setor de energias renováveis. Atualmente, metade dos planos de implantação de torres de captação de matriz eólica offshore solicitados junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) são do Estado.

Desde que o Estado se transformou em point do kitesurfe mundial e foi o primeiro a receber parques eólicos no País no início da década passada, o potencial do vento tornou-se conhecido. Hoje, o modelo de produção offshore é amplamente utilizado na Europa, mas no Brasil essa indústria ainda não existe

.O futuro Parque Eólico Offshore Caucaia Parazinho, em Iparana, terá capacidade de produzir 310 Megawatts (MW) de energia e demandará investimento de $ 2,2 milhões por MW, cerca de R$ 5,2 bilhões ao todo.

No âmbito da geração de energia no mar, dos seis projetos aguardando licença do Ibama, três deles são oriundos do Ceará. Além do parque em Caucaia, existe a construção do Complexo Eólico Marítimo Asa Branca I, que será instalado na retroárea do Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, com potência instalada de 400 MW.

via Ceará Agora

Comentários