Governadores do Nordeste se queixam de distribuição de benefícios do Bolsa Família e se mobilizam para fortalecer o programa


Governadores se mobilizam e querem fortalecimento do Bolsa Família. Os líderes do poder executivo estadual dos estados das regiões Norte e Nordeste do país cumpre agenda em Brasília para pressionar o Congresso Nacional a instituir medidas que fortaleçam o programa.

O assunto ganhou destaque no Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral, desta segunda-feira (9), com os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida.Os governantes se queixam nasceu a partir de dados divulgados pelo Ministério da Cidadania que apontam que a região Nordeste teve no mês de janeiro um número baixo de pessoas incluídas no programa em comparação com as regiões Sul e Sudeste, mesmo apresentando maiores índices de pobreza.

O senador Tasso Jereissati alerta que o fato pode significar o rompimento da região Nordeste com o Governo Federal. O jornalista Luzenor aponta que as declarações do senador e a nova etapa de conflitos entre o governo federal e governos estaduais geraram indignação e críticas de aliados do presidente da República, Jair Bolsonaro, ao senador cearense.
“Tasso alertou para o risco da instabilidade da relação entre o Palácio do Planalto e a região Nordeste, principalmente os governo estaduais, que se queixam dessa discriminação, pelo menos na distribuição do número de beneficiários do Bolsa Família feita no mês de janeiro”, diz Luzenor.

O jornalista destaca que os governadores querem que o Bolsa Família seja distribuído por critérios técnicos, sendo proporcional aos números de famílias em situação de vulnerabilidade apresentados por cada estado.Beto ressalta que a repercussão das declarações dadas pelo senador cearense Tasso Jereissati foi de fato grande.

O jornalista também ponderou que Tasso não é um “anti-bolsonarista” convicto, tendo em vista que mesmo diante da crítica feita, o senador foi o relator da reforma da Previdência e também é defensor da agenda econômica proposta pelo atual governo.

“A crítica dele chamou atenção para o governo exatamente pela palavra forte que ele usou. Disse (Tasso) que era uma extravagância o que ele vinha tomando conhecimento em relação ao levantamento feito pelo jornal O Estado”, afirma Beto.

A extravagância, explica Luzenor, diz respeito a distribuição dos beneficiários do Bolsa Família no mês de janeiro, quando, com a inclusão por parte do governo de novos benefícios no programa, a região Nordeste teve, proporcionalmente,  o menor número de pessoas beneficiadas, mesmo sendo a região com maior número de pessoas inscritas no programa.

Acerca da declaração de Tasso sobre um possível risco de rompimento entre a região Nordeste e o Governo Federal, Beto entende que a fala do senador se apresenta como a base de um discurso.

“Para dizer o seguinte: que ele (Tasso), como (também) toda bancada do Nordeste deve se posicionar de forma firme contra o governo. Inclusive, que o Ministério Público e o Tribunal de Contas da União cobrem do Governo explicações para saber se tem mesmo ou não algo discriminatório”, enfatiza o jornalista.

via Ceará Agora

Comentários