Diocese de Crato: Saiba como vivenciar a Semana Santa em casa, junto à família


A partir do próximo domingo, dia 5 de abril, católicos do mundo inteiro começam a celebrar a Semana Santa. Por causa da pandemia do coronavírus, igrejas e capelas continuarão fechadas. Mas isso não impede de vivê-la com o mesmo espírito de oração e de piedade, acompanhando as celebrações pelo rádio, pela tevê ou pelas redes sociais. Além disso, é tempo para fortalecer a família, igreja doméstica. E quem garante isso é o bispo diocesano de Crato – CE, Dom Gilberto Pastana. Para ele, esse tempo de isolamento deve ser visto como oportunidade para fortalecer o amor. Confira essa e outras dicas: 

Domingo de Ramos: tradicionalmente, essa celebração é feita com grande procissão de fiéis, que saem às ruas cantando e rezando, com ramos de oliveira nas mãos. Como isso não será possível, Dom Gilberto orienta que se coloque algum sinal na porta de casa (um ramo ou mesmo um galho de árvore), indicando, assim, a unidade e a comunhão com a Igreja. 

Quinta-feira Santa: Nessa celebração, acontece o rito do lava-pés. A sugestão do bispo é repeti-lo, em casa, com os familiares. O gesto representa o perdão, o recomeço e a nova vida. 

Sexta-feira Santa: Dois momentos marcam este dia: a via-sacra, durante a manhã, e a solene ação litúrgica, às três da tarde. As duas podem ser feitas em casa. A primeira, com auxílio do subsídio disponibilizado pela CNBB. Para a segunda, basta preparar um pequeno altar, no meio da sala, e colocar nele um crucifixo. Cada membro da família, pode se ajoelhar e fazer a sua adoração, lembrando o grande gesto de Jesus de dar a vida pelos amigos. 

Sábado Santo: Durante o dia, guardar o silêncio orante; à noite, acompanhar a celebração da Vigília Pascal acendendo uma vela. Essa vela, lembra o bispo, simboliza a luz do Senhor. No momento de renovação das promessas do batismo, cada um é convidado a renovar as suas. 

Domingo da Páscoa na ressurreição do Senhor: Para este dia, além de acompanhar a Missa, a sugestão de Dom Gilberto é ligar para um parente ou para um amigo, cuja amizade foi rompida, desfeita, por algum motivo. 

Além disso, comunicar aos demais o “grande recado de Jesus”: “Não tenham medo!”. Aproveitar, então, para refletir sobre os cuidados com a própria saúde, com a saúde de quem está ao redor e com o planeta, a “casa comum”. 

Outra sugestão do bispo é “interiorizar” as leituras, fazendo as seguintes perguntas: o que eu devo modificar em mim, no meu jeito de ser e de viver? 

Confissão interior: com as igrejas fechadas, as confissões foram suspensas. Mas Dom Gilberto orienta a “confissão interior”, ou seja, silenciar, pensar as atitudes e pedir perdão a Deus, da maneira mais sincera que puder. A meditação de um Salmo, por exemplo, pode ajudar. E fazer o propósito de mudar de vida e de atitude. Depois, quando a situação permitir, procurar um sacerdote para o sacramento da confissão.

Baixe o arquivo em PDF: Semana Santa – Domingo de Ramos

via Gazeta Cariri

Comentários