Praticar exercícios físicos ao ar livre durante o isolamento social é seguro? Veja recomendações


Há mais de um mês em isolamento social decretado pelo Governo do Estado, alguns cearenses têm recorrido às atividades ao ar livre para conter a ansiedade do confinamento, mas a prática exige distanciamento, aponta o infectologista Anastácio Queiroz. Durante esse período de recomendação de permanência em casa por autoridades sanitária, os exercícios ao ar livre estão liberados? Há riscos? Quais são os cuidados necessários para a prática? A reportagem conversou com especialistas para esclarecer essas dúvidas.

“A única questão é o distanciamento. A doença se transmite de pessoa para pessoa, se eu sair e não tiver contato com ninguém, ficar a muitos metros distância, não há risco de contagio”, explica o infectologista Anastácio Queiroz, que ressalta ainda a importância de evitar aglomerações. “Organizar horários específicos para as pessoas não se encontrarem, principalmente, em prédios”, pontua o médico. 

O coordenador do curso de Educação Física da Universidade Federal do Ceará (UFC), Eduardo Mota, ressalta como parâmetro a ser seguido o posicionamento da direção da Organização Mundial de Saúde (OMS): manter atividades em casa ou resguardar o afastamento pessoa a pessoa de, pelo menos um metro, se for ao ar livre. 

“No caso da prática de corridas esta distância deveria ser de 5 metros. Considero que o grande problema seria um grande número de pessoas resolverem realizar estas atividades ao ar livre, ao mesmo tempo, o que com certeza causaria aglomerações. Por isto, os parques se mantêm fechados”, afirma o professor. Eduardo sugere que os praticantes procurem alongamento e exercícios individuais neste período.

O técnico de atletismo Vilson Borges aconselha os exercícios em casa, principalmente, para evitar o fluxo nos pontos mais frequentados. “Se estimularmos as pessoas a correrem, teremos muitas pessoas correndo na rua em lugares específicos, como a Beira Mar. A exposição é inevitável”, afirma.             

FOTO: Camila Lima

  (Diário do Nordeste)

Comentários