Sistema “apaga” o zero do CPF no cadastro e dificulta pedido de R$ 600


Trabalhadores que possuem algum familiar com número de CPF que começa com zero estão enfrentando dificuldades para receber o auxílio emergencial de R$ 600.
Segundo relatos, o problema aconteceu no primeiro pedido. Depois, para quem recebeu como resposta que os dados informados eram inconclusivos, o problema se repetiu na hora de fazer a segunda tentativa

O UOL questionou a Caixa sobre o problema, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Sistema faz o zero sumir

No cadastro do auxílio emergencial, os trabalhadores precisam informar o CPF e a data de nascimento dos membros da família com quem mora. Nessa etapa, o trabalhador digita os números e não acontece nenhum problema com o CPF. Porém, na página final, quando é preciso revisar e confirmar as informações, o zero some do número do digitado, fazendo com que o CPF fique incorreto.

Uma trabalhadora ouvida pelo UOL, que prefere não ter o nome revelado, diz que percebeu esse problema no primeiro pedido. Ela incluiu o CPF da filha, que começa com zero. Ao conferir os dados, no final do processo, percebeu que o sistema não estava considerando o zero. Voltou para a página correspondente aos membros da família, e o CPF estava correto. Então achou que não haveria problema em enviar o pedido.

Segundo ela, após a análise do seu pedido, recebeu como resposta que os dados informados eram inconclusivos. Decidiu fazer o pedido novamente e ocorreu o mesmo problema com o CPF. Ela mora com a filha e teria direito a R$ 1.200, por sustentar a família sozinha.
Com medo de não conseguir receber nada, decidiu enviar o pedido novamente sem dizer que era chefe de família, para que o CPF da filha não fosse levado em consideração na análise do governo. Até esta segunda-feira, o pedido estava em análise. Se o cadastro der certo desta vez, ela só receberá R$ 600.

Em outro caso, uma trabalhadora cujo número de CPF começa com zero relatou que o problema aconteceu no cadastro do seu marido. Ambos pediram o benefício.

No seu cadastro, ela afirma que não teve problemas, mas no do marido, em que ela é listada como membro da família, o zero sumiu do seu CPF. Como a trabalhadora ficou com dois números de CPF diferentes em dois cadastros, tanto ela quanto o marido receberam a resposta de que os dados estavam inconclusivos.

Ela disse que tenta fazer a correção no cadastro do marido, mas não consegue. Também procurou uma agência da Caixa, mas não resolveu a situação.

Do site UOL

Comentários