Após 16 dias internado com Covid-19, servidor público deixa hospital e passará aniversário em casa


Antes de testar positivo para Covid-19, o servidor público Adalberto Rodrigues Bezerra, 56, não levava a doença tão a sério. O visão que tinha mudou após passar 16 dias internado no hospital Uniclinic. Ele deixou o hospital ontem, 16. Com pulmões comprometidos pela doença, o homem achava que não conseguiria voltar para casa, como conta sua filha, Giovanna Else Rodrigues, 23. Adalberto chegou a perder 12 kg durante a internação. A família agora se prepara para comemorar o aniversário de Adalberto no dia 30 de maio.

As duas semanas de internação foram de aflição para toda a família. No período em que passou no hospital, o servidor só conseguiu se comunicar com os parentes uma vez utilizando o celular do paciente com quem dividia o leito. “A gente ficou muito apreensivo. A gente não tinha informação dele, não passavam por telefone e nem podia visitar. Não sabíamos de nada”, diz Giovanna.

A apreensão só aumentava por saber que o pai era grupo de risco, já que é pré-diabético e obeso. Só quando Adalberto chegou em casa foi que ele pôde contar do que viveu, dos medos e também da gratidão que sentia por todos os profissionais de saúde envolvidos no seu cuidado.

“Ele voltou com outra cabeça. Ele não estava tão preocupado assim, não estava enxergando a gravidade do problema até passar pelo problema”, relembra Giovanna. A filha explica que antes o pai saia de casa muitas vezes e subestimava a magnitude da pandemia. “Agora ele não quer que ninguém saia”. Adalberto contou para a família todas as situações difíceis que viu, como as mortes de outros pacientes.

Assim como Adalberto, outras 13.357 pessoas já se recuperaram da Covid-19 no Ceará, de acordo com dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). O Estado confirmou mais de 24 mil casos e 1.641 óbitos pela doença.

Sintomas

Os sintomas de Adalberto apareceram ainda em abril. Giovanna relata que o irmão, que trabalha no setor de Tecnologia da Informação de um hospital, apresentou sintomas e teve de se isolar na casa dos pais com o objetivo de não infectar os filhos pequenos. Ela acredita que foi devido a proximidade com ele que o pai entrou em contato com o vírus. Depois da segunda vez passando mal por causa da falta de ar, Adalberto foi internado no dia 1 de maio. Apesar de não precisar de UTI ou ser entubado, ele necessitou de oxigênio e cuidados constantes.

Agora em casa, Adalberto vai precisar fazer fisioterapia respiratória para completar o tratamento da doença, que deixou o pulmão do servidor bastante comprometido. Ele também deve utilizar um nebulímetro, conhecido como bombinha de asma, para ajudar na falta de ar. Apesar disso, Giovanna conta que o pai está bem.

Foto: Arquivo pessoal

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários