Ceará capacita cerca de 1.500 agentes de combate a endemias


Para intensificar o combate a doenças como dengue, zika e chikungunya, a Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE) capacitou, entre 2018 e 2020, 1.459 profissionais no Curso Básico em Vigilância e Controle das Arboviroses.

A Diretoria de Educação Profissional em Saúde (Dieps) da ESP/CE está à frente dos treinamentos. “Nossa ideia é que esse Agente Comunitário de Endemias tenha uma atuação no sentido de mobilizar a sociedade, envolvendo as pessoas para que elas também sejam protagonistas”, afirma Caio Cavalcanti, diretor da Diesp.

Ao todo, o projeto possibilitou a capacitação de 31 turmas em todo o Estado. Os treinamentos acontecem em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), por meio da Coordenadoria de Promoção da Saúde/Núcleo de Vetores (Nuvet), e com o Comitê Gestor Estadual de Políticas Públicas de Enfrentamento à Dengue, Zika e Chikungunya.

Vanessa dos Santos Guimarães está entre os profissionais que fazem parte da história do curso. Ela integra a turma de Tauá, distante 337 km de Fortaleza. Foi no município que Vanessa se tornou, também, a primeira mulher Agente de Combate às Endemias.

Sempre atuando em Tauá, Vanessa recorda os trabalhos nas campanhas de combate à febre amarela, raiva e escorpionismo e arealização de palestras educativas voltadas para crianças e jovens do município.

“Ser uma mulher em meio a tantos homens é desafiador. Mas é gratificante conquistar meu lugar. Ao longo dos anos, mostrei meu valor em diversas situações e elas têm me ensinado muito em questão de amadurecimento pessoal e profissional”, assegura a agente.

O CURSO
O Curso Básico em Vigilância e Controle das Arboviroses tem como objetivo desenvolver e aprofundar conhecimentos e habilidades para a identificação e o enfrentamento às arboviroses no Estado do Ceará. O treinamento tem carga horária de 60 horas, dividas entre atividades teóricas e de ensino-aprendizagem em ambiente de trabalho.

O ACE
Do mesmo modo que os Agentes Comunitários de Saúde (ACS), os Agentes de Combate às Endemias (ACE) tiveram suas atividades regulamentadas em 2006 e trabalham em contato direto com a população.

Entre as principais atribuições dos profissionais, destacam-se a vistoria de residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos endêmicos, além da inspeção cuidadosa de caixas d’água, calhas e telhados e a realização de orientações quanto à prevenção e ao tratamento de doenças infecciosas.

Daniel Araújo – Ascom ESP

Fonte: Governo do Estado do Ceará

Postar um comentário

0 Comentários