Vacina deve ser bem público global, diz chefe da saúde dos EUA


Se os Estados Unidos forem os primeiros a desenvolverem uma vacina eficaz contra o novo coronavírus, deverão compartilhá-la rapidamente com o mundo, disse o chefe dos Institutos Nacionais de Saúde, Francis Collins, em entrevista à AFP.

A administração do presidente Donald Trump sugeriu que, embora compartilhasse seu conhecimento científico, priorizaria a produção de doses para a população americana desde o início.

Collins, no entanto, disse que “concorda absolutamente” com os líderes da França e da China que uma vacina deveria ser o que eles chamavam de “bem público global” e expressou preocupação particular pelos países da África e da América Latina.

“Certamente, se tivéssemos uma vacina que funcionasse, eu gostaria de garantir o mais rápido possível que ela esteja disponível lá (na África) e na América do Sul. Olhe o Brasil agora”, disse Collins.

“Temos uma grande responsabilidade. Como nação mais rica do mundo, não temos apenas que cuidar de nós mesmos. Isso seria um resultado terrível”, afirmou o especialista em saúde.

Os institutos dirigidos por Collins (NIH) constituem um dos principais centros de pesquisa do mundo. Com um orçamento de US$ 42 bilhões, eles fizeram uma parceria com empresas privadas na corrida frenética para encontrar uma vacina contra o vírus que matou mais de 320.000 pessoas em todo o mundo.

Foto: iStock/Getty Images

Fonte: Exame

Comentários