Após quadro grave de Covid-19, idosa de 100 anos recebe alta em Fortaleza


Na manhã deste sábado (6) foi de alegria para a família da aposentada Maria Luci de Lima e Silva, de 100 anos. É que mais cedo, ela chegou em casa após 26 dias internada por complicações causadas pela Covid-19. Dona Luci, que é hipertensa e diabética, deu entrada em um hospital particular de Fortaleza no último dia 12, devido uma piora no quadro.

Funcionária pública aposentada, Luci reside há mais de 40 anos com uma amiga da família, que tem mais de 75 anos. O primeiro sinal de atenção foi uma febre, percebida ao acordar, de acordo com a sobrinha-neta da idosa, a médica anestesista Giovana Tiraboschi, de 52 anos. “Minha prima me ligou para falar que Tia Luci amanheceu com febre. Pouco depois uma das cuidadoras ficou doente e ficamos preocupados”, relembra.

Ambas as senhoras contam com uma enfermeira e com auxiliar doméstica para os cuidados rotineiros. Elas estavam em isolamento social, mantendo contato apenas com as cuidadoras, quando manifestaram os sintomas. Somente Luci evoluiu para uma situação mais delicada. A colega, que tem 75 anos, se recupera da doença em casa e não precisou de internação médica.

Uma das principais preocupações da família foi a impossibilidade de uma visita à Luci. Todo o acompanhamento precisou ser feito à distância. “Minha outra tia chamou uma médica geriatra para atender ela em casa”, conta Giovanna. A profissional chegou a receitar um tratamento com hidroxicloroquina para ambas as idosas, mas Luci não respondeu bem ao remédio e foi encaminhada ao hospital. O teste com resultado positivo para infecção por novo coronavírus veio cinco dias depois dos primeiros sintomas.

Acompanhamento à distância

Com a distância, a espera por resposta foi o momento mais delicado para a família. parte dos parentes são do grupo de risco da doença e precisaram manter o distanciamento social. As atualizações vinham por telefone, direto para o número de Giovanna. “Foi muito angustiante acompanhar de longe. Geralmente, qualquer coisinha, nós corremos para lá para acudir mas dessa vez não tinha como”, confessa.

Mesmo que Luci não tenha se internado em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), o quadro de saúde ainda precisou de atenção. Durante a estadia no hospital, a idosa apresentou complicações. “Ficamos assustados. Um tempo depois ela desenvolveu uma pneumonia bacteriana sobreposta ao quadro de Covid-19. Não estava respondendo bem ao tratamento mas a equipe médica optou por mudar o antibiótico e a situação normalizou”, aponta a sobrinha-neta.

Depois do susto, as ligações começaram a trazer consigo expectativas de melhora. “Os médicos me ligavam quase todo o dia com atualizações. Aí ela permaneceu estável até a alta”, conta Giovanna.

Novos dias

Para a família, o passo de Dona Luci traz esperanças para aqueles que aguardam altas hospitalares de parentes.

“Saber que uma pessoa com essa idade conseguiu sair desse quadro é uma grande esperança para todo mundo que está em situação parecida”,

Agora que está em casa, Dona Luci deve receber uma comemoração à altura. A família planeja para o dia 27 de julho, aniversário da aposentada, uma festa de celebração da vida. O tema reforça a vitória da senhora: será uma festa mascarada. “Vamos fazer um bolinho para comemorar a vida, celebrar essa conquista”, anima a sobrinha.

Foto: Reprodução

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários