Mulher morre de Covid-19 após marido afirmar que vírus era conspiração


Um taxista da Florida, que acreditava que o vírus SARS-Cov-2 era uma mentira, perdeu a mulher para a doença. Brian Lee Hitchens chegou a dar entrevistas, no hospital, como exemplo do perigo da desinformação.

Brian e a mulher, Erin, leram suposições na internet de que o vírus era falso, ou que era similar à gripe, entre outras teorias da conspiração. Em resultado, não seguiram as recomendações das autoridades de saúde nem foram ao médico logo quando começaram os sintomas.

O norte-americano continuou trabalhando como taxista e ia buscar os medicamentos da mulher, que sofria de asma, sem observar as medidas de higiene e segurança.

Ambos foram hospitalizados, mas Erin, de 46 anos, ficou em estado grave e teve que ser colocada nos cuidados intensivos. Morreu este mês, devido a problemas cardíacos causados pelo vírus, de acordo com a BBC.

O homem disse à emissora que “gostava de ter dado ouvidos no início” e que esperava poder ser perdoado pela mulher. “Isto é um vírus real que afeta as pessoas de forma diferente. Não posso mudar o passado. Só posso viver no presente e fazer melhores escolhas para o futuro”, disse.

Notícias ao MinutoBrian e a mulher, Erin, que morreu este mês por causa de complicações causadas pelo vírus © Reprodução

“Ela já não está sofrendo, está em paz. Há períodos em que sinto a falta dela, mas sei que ela está num lugar melhor”, acrescentou.

Brian admitiu que nem ele nem a mulher tinham opiniões formadas sobre a pandemia, e então iam seguindo aquilo que liam na internet. “Pensamos que o governo estava usando isto para nos distrair, ou que tinha a ver com o 5G”, explicou. Porém, depois de ficarem ambos doentes, Brian recorreu ao Facebook para explicar que tinha sido ludibriado pelo que tinha lido online.

Notícias ao minuto

Postar um comentário

0 Comentários