Testagem da Covid-19 deve quintuplicar com novo centro da Fiocruz


A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) desde o início da pandemia do coronavírus é testar a maior quantidade possível da população para conhecer a dinâmica da doença. Realizando por dia cerca de 2,5 mil testes moleculares – ou RT-PCR, “padrão ouro” de detecção -, o Ceará ganhou um incremento nas testagens, nesta segunda-feira (24). Com a inauguração da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19, equipamento da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Eusébio, o número diário de exames deve aumentar para 12,5 mil.

O RT-PCR é considerado mais confiável porque pode detectar a presença do vírus no organismo, e não se o corpo já produz anticorpos contra ele, como é verificado com os testes rápidos. No entanto, no Ceará, ele ainda é minoria: dos 593.230 exames de detecção já realizados no Estado, 163.130 utilizaram o método molecular, representando cerca de 27% do total, conforme a plataforma IntegraSUS, da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

A maioria (70%) ainda é de testes rápidos, com 415.211 aplicações. Conforme o IntegraSUS, a média geral é de 69 testes realizados para cada grupo de mil habitantes. No recorte de testes rápidos, são 49 na mesma fatia da população. Já em relação ao RT-PCR, são apenas 19 a cada mil cearenses. Atualmente, segundo o IntegraSUS, 11.643 exames do tipo seguem em análise.

A situação, contudo, vem se modificando. A plataforma também mostra que, desde julho, a aplicação de testes rápidos no Estado vem caindo e, a de testes moleculares, aumentando. Em entrevista ao Sistema Verdes Mares no início deste mês, secretária-executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, Magda Almeida, confirmou que o Estado tem investido na segunda opção. “Nossa meta é diagnosticar e rastrear também os pacientes leves”, indicou. Já o secretário de Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, em vídeo, reforçou a importância da unidade para “garantir, com segurança, o plano de flexibilização, e a ampliação das atividades econômicas”.

“Legado”
Na nova central do Eusébio, as amostras para análise serão encaminhadas pelo Ministério da Saúde. Segundo a Fiocruz, a unidade atenderá tanto ao Ceará quanto a excedentes de laboratórios de outros Estados, sobretudo no Nordeste. A estimativa é que os resultados sejam liberados em, no máximo, 48 horas.

Presente no lançamento da Unidade, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, destacou que além do diagnóstico da doença, a testagem ganha relevância para a tomada de decisões de gestores públicos. “Por isso, os números precisam ser altíssimos, e essa capacidade de processamento, desde captar o material até ter o resultado na ponta da linha, vem sendo construída a muitas mãos, públicas e privadas”, avalia.

A Unidade do Eusébio, equipada com plataformas automatizadas, foi construída em pouco mais de dois meses. O Ministério da Saúde custeará a operação que, em seu pleno funcionamento, terá cerca de 200 profissionais, entre biologistas e técnicos de laboratório, atuando em três turnos.

Segundo a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, após a pandemia do novo coronavírus, a estrutura cearense vai permanecer como “legado” para o sistema de vigilância epidemiológica do Sistema Único de Saúde (SUS). “O Brasil precisará avançar, sem dúvida, no campo da vigilância e da preparação para emergências sanitárias”, aponta.

Camilo Santana, governador do Ceará, ressaltou que o SUS precisa ser fortalecido, cooperado e integrado. “Essa unidade é um exemplo de que há um esforço conjunto com o único objetivo de ajudar a mitigar e investir em algo fundamental”, diz.

FOTO: Tatiana Fortes/Fiocruz

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários