Duas áreas de saúde do Ceará têm aumento de casos de Covid-19 e outras 15 têm queda


As áreas descentralizadas de saúde de Icó e Cascavel foram as únicas, dentre as 22 do Ceará, que tiveram incremento no número de casos de Covid-19 até o fim de setembro. O número de casos caiu em outras 15 regiões e ficou estável em cinco áreas. 
A comparação leva em consideração os períodos das semanas epidemiológicas 36 e 37 (entre 30 de agosto e 12 de setembro) e 38 e 39 (entre 13 e 26 de setembro). As informações estão no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Ceará na tarde desta quinta-feira (8). 
Nas duas primeiras semanas observadas, Icó contabilizou 426 mortes, indo para 545 nas duas semanas seguintes. Já Cascavel passou de 117 para 160 diagnósticos positivos. 
Em termos absolutos, a área descentralizada do Crato obteve a maior redução, passando de 644 casos nas duas primeiras semanas para 311 nas duas semanas seguintes, uma redução de 262 casos. 
Comparativo de óbitos Em relação aos óbitos, quatro áreas apresentaram aumento na contabilização no período de comparação. Tauá passou de 3 para 11; Juazeiro do Norte foi de 12 para 16; Maracananaú passou de 2 para 5; e Brejo Santo passou de 6 para 8. 
As coordenadorias de Caucaia (4), Aracati (1), Acaraú (1), Camocim (3) e Crato (8) mantiveram os mesmos números de mortes. 
O município de Umari, localizado na microrregião de Lavras da Mangabeira, registrou a primeira morte pela Covid-19. Dessa forma, somente os municípios de Altaneira e Antonina do Norte permanecem sem nenhum habitante que faleceu em razão da doença. 
IntegraSUS O Ceará registrou, até a manhã da última quinta-feira (8), 257.532 casos confirmados da Covid-19 e 9.111 óbitos em decorrência da doença. Já são 222.606 pessoas recuperadas da enfermidade. Os dados foram extraídos da plataforma IntegraSUS, administrada pela Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa).

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários