Prefeitura de SP nega que covas em cemitério da Vila Formosa foram abertas por causa de vítimas de coronavírus


O prefeito Bruno Covas (PSDB) disse nessa sexta-feira (3) que as covas abertas no cemitério da Vila Formosa, na Zona Leste de São Paulo, não foram feitas por causa da pandemia de coronavírus. A imagem foi capa do jornal norte-americano “The Washington Post” na quinta-feira (2).

De acordo com o prefeito, a abertura de dezenas de covas em filas é o procedimento padrão dos cemitérios municipais nessa época do ano, quando acaba o período de chuvas. A declaração foi dada durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

“A imagem é real, mas é importante esclarecer que ela não tem nenhuma relação com o período que passamos. Todo os anos, ao final do período de chuvas, isso é feito nos cemitérios municipais para preparar o cemitério para o ano todo. Portanto não há nenhuma novidade sobre o que foi feito em 2019, 2018, 2017. Essa imagem pode ser feita todos os anos nos cemitérios municipais. Ela não foi feita excepcionalmente por causa do coronavírus, ela é feita sempre nesse período quando termina o período de chuvas”, afirmou Covas.

Junto com a imagem do cemitério, o “The Washington Post” disse que o “contágio pode esmagar o mundo em desenvolvimento” e que “os países do Hemisfério Sul demoraram a reagir, aceleraram seus passos, mas o presidente do Brasil chamou o surto de ‘fantasia'”. A publicação também salientou que os coveiros usavam roupas de proteção especial para não se contaminarem pelo vírus.

Fonte G1

Postar um comentário

0 Comentários