Volume de auxílio pago a cearenses demonstra fragilidade do mercado


Os recursos do auxílio emergencial liberados pela Caixa Econômica Federal ao Ceará, no valor de R$ 4,34 bilhões, referentes à primeira e segunda parcelas, refletem a fragilidade do mercado de trabalho e às condições socioeconômicas de grande parcela da população.

A avaliação de economistas aponta ainda que os percentuais pagos, tanto no Estado como no Nordeste, são similares à fatia do contingente que vive na pobreza e extrema pobreza.O banco não informou a quantidade de beneficiários do programa no Estado.

O Sudeste foi a região com o maior número de pessoas que recebeu o auxílio, com 36,1%. Em segundo lugar, vem o Nordeste, com 35,7%. Do volume total, 10,9% foram pagos a moradores da região Norte, 10,2% do Sul e 7,1% do Centro-Oeste.De acordo com o professor do Programa de Pós-graduação em Economia Rural da Universidade Federal do Ceará, Francisco José Tabosa, os volumes pagos no Ceará e no Nordeste estão relativamente de acordo com a parcela de pobres e de extremos pobres nestes locais. Ainda de acordo com ele, o valor pago de R$ 600 é considerável para amenizar a situação precária de grande parte da população.

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Fonte: Site Ceará Agora

Postar um comentário

0 Comentários