Vaquejadas e festas são encerradas pela PM por causar aglomeração durante o fim de semana no Ceará


A Polícia Militar encerrou diversas festas com registro de aglomeração e desrespeito às regras de isolamento social em Fortaleza e cidades do interior durante o fim de semana. Um decreto estadual proíbe a realização com mais de 100 pessoas em todas as cidades do Ceará. 

Na noite de sábado, uma festa vaquejada que estava sendo realizada em um haras na localidade de Cauípe, em Caucaia, foi encerrada após a constatação que mais de 100 frequentadores estavam no local. Além disso, os agentes identificaram violações às regras de distanciamento social, descumprimento do uso de máscaras e a falta de alvará de funcionamento.

Após o flagrante, a polícia dispersou o público e o Instituto de Meio Ambiente de Caucaia (IMAC) notificou o organizador da festa, baseado na Lei de Crimes Ambientais e descumprimento do decreto municipal. O responsável pelo evento tem o prazo de cinco dias para comparecer ao órgão.

Um evento em formato de vaquejada aconteceu na noite de sábado, no município de Catunda, a cerca de 246 km de Fortaleza e foi encerrado, por volta das 23h, por policiais militares. Conforme informações da PM, durante o patrulhamento os agentes perceberam uma grande movimentação de veículos em direção ao distrito de Paraíso. Com a abordagem, descobriram que estava sendo realizado o evento, que reuniu cerca de 600 pessoas.

Os policiais também flagraram o uso de paredões de som e derrubada de bois. Conforme a PM, o organizador da vaquejada confirmou que estava realizando o evento apesar de não ter alvará de funcionamento e de não ter comunicado a nenhuma autoridade sobre a realização da festa.

O homem foi conduzido para a companhia de Santa Quitéria, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Festa no Iate Clube

Em Fortaleza, outro flagrante de desrespeito ao decreto de isolamento social. Um evento com mais de 100 pessoas aconteceu no Iate Clube, no bairro Cais do Porto. Aglomeração de pessoas e o não uso de máscaras foram irregularidades identificadas. Após denúncias, o Batalhão de Policiamento Turístico (BPTUR) encerrou, também na noite de sábado o evento.
Conforme informações da Polícia Militar, um funcionário do estabelecimento foi conduzido ao 13º Distrito Policial, onde foi instaurado um Boletim de Ocorrência que poderá servir de instrumento para o trabalho investigativo da polícia judiciária.

Segundo o Iate Clube de Fortaleza, não foi realizada festa no local. O estabelecimento disse que o restaurante estava aberto e funcionando com música ao vivo. Ainda segundo o departamento jurídico do clube, estava operando com 20% da capacidade total, o que daria em torno de 150 pessoas.
A nota também informa que “as pessoas foram se aninando, se levantando, e a música precisou ser encerrada antes do previsto”.

Festa em Maranguape

Outro município da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) que também foi alvo de ações de fiscalização ao descumprimento do decreto foi Maranguape. Agentes encerraram uma festa com aglomeração de pessoas, no domingo (27) em um sítio localizado na cidade. Um homem de 31 anos que se apresentou como representante do responsável pelo evento foi conduzido para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú (DMM) para prestar esclarecimentos.

Quando os profissionais da segurança pública chegaram ao local da festa, no Sítio Columinjuba, os participantes do evento já estavam de saída. Por procedimento, as pessoas foram abordadas, mas nada de ilícito foi encontrado com elas.

Um homem que se apresentou como representante do dono da festa teria impedido o acesso dos agentes e teria machucado o braço de um policial na tentativa de pegar sua documentação, que era verificada pelas composições.

O homem foi conduzido pelos militares para prestar esclarecimentos sobre os fatos na DMM. Após todos os envolvidos na ocorrência serem ouvidos na unidade policial, um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) foi lavrado contra o homem por infração de determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa e por vias de fato, uma contravenção penal.

Foto: Reprodução SVM

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários