Hospitais do Cariri têm baixa na ocupação de UTIs Covid, chegando a 57%


Atualmente na fase 4 do Plano de Retomada das Atividades Econômicas, o Cariri teve autorização para o funcionamento de escolas de música, dança, prática de artes marciais em academiais ou outros estabelecimentos similares e atividades em comum. O comércio também está com autorização de abertura, assim como restaurantes e parques temáticos, todos diante de protocolos de segurança.

Nesta segunda-feira (5), o indicativo de ocupação nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) da região para pacientes com Covid-19 é melhor do que o apresentado há um mês, quando o Cariri vivia a 3° fase do plano de retomada econômica. Na época, a ocupação estava acima da estadual, apresentando 71% dos leitos com pacientes. Hoje, a região tem 57% das UTIs ocupadas.

Há um mês as enfermarias tinham 20% de ocupação, e nesta semana a diferença é pouca, tendo subido para 22%. Os dados são da plataforma online IntegraSus, mantida pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).
Apenas um hospital apresenta 100% de ocupação, sendo o São Vicente de Paulo, em Barbalha, que disponibiliza apenas 3 leitos. Já o Hospital Regional do Cariri, referência no tratamento da Covid-19, apresenta 66% de ocupação.
O
maior nível de lotação está em Iguatu, que integra a regional de saúde do Cariri. No Hospital Regional da cidade, 70% das UTIs Covid estão ocupadas, e no Hospital São Vicente, 60%.

Veja a ocupações em todos os hospitais da região:

Quando o Cariri estava na fase 1 de retomada, em 10 de agosto, a taxa de ocupação em UTIs era de 66,46%. Duas semanas depois, quando a região estava na fase 2, a ocupação havia caído para 62%, mas ainda era 3% maior que a estadual.

Foto: Antonio Rodrigues

Fonte: Site Badalo/ Por Lícia Maia

Postar um comentário

0 Comentários