Mais de 1.000 candidatos já foram barrados pela Lei da Ficha Limpa


Ao menos 1.048 candidatos às eleições deste ano tiveram seus registros negados pela Justiça Eleitoral por não se enquadrarem nos critérios de corte da Lei da Ficha Limpa. O número, consultado no sábado (31.out.2020) pela reportagem do Poder360 na base de dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), representa 61% do total de candidaturas barradas com base nessa mesma lei nas últimas eleições municipais, em 2016.

A Lei da Ficha Limpa entrou em vigor em 2010. Ela torna inelegíveis os políticos que tiveram o mandato cassado ou foram condenados em 2ª Instância em Processos criminais ou eleitorais nos 8 anos anteriores à eleição.

A maioria dos candidatos que já tiveram o registro rejeitado com base nessa lei tenta disputar o cargo de vereador (926). São 45 postulantes a prefeito e 47 candidatos a vice-prefeito barrados pelo mesmo motivo.

O PSD, do ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro Gilberto Kassab, é o partido com maior número de candidatos considerados “ficha suja” pela Justiça Eleitoral até aqui: 86. Na sequência aparece o MDB, do ex-presidente Michel Temer, que teve 83 filiados impedidos de ir às urnas.

(Poder 360)

Postar um comentário

0 Comentários