Ceará já registra mais de 400 homicídios no ano de 2021


O ano de 2021 começou com aumento de 15,4% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em janeiro, no Ceará, na comparação com igual período de 2020. Com os homicídios registrados em fevereiro, já são mais de 400 mortes violentas no Estado. A guerra entre facções criminosas deixou mais três mortos, dois feridos e um desaparecido, em uma tentativa de chacina, no Vila do Mar, no bairro da Barra do Ceará, em Fortaleza, na noite da última segunda-feira (15).

Conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), o mês de janeiro do ano corrente teve 306 homicídios, enquanto em janeiro do ano passado foram 265 casos. Neste mês de fevereiro, a Pasta registrou mais 112 crimes (número ainda não consolidado), até o último dia 13.

No total, são ao menos 418 mortes no Ceará em 2021, o que representa uma média diária superior a 9 homicídios (9,5, para ser exato). Contudo, o ano de 2020 terminou com 4.039 CVLIs, o que significou uma média diária de 11 registros.

[Atualização – 8h25, 17/02/2021] Sobre o aumento das mortes em janeiro, a SSPDS se posicionou após a publicação da matéria. Segundo a Pasta, “o trabalho diário realizado pelas Polícias Civil e Militar do Ceará tem impactado na redução dos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) no Estado.
Os últimos três meses apresentaram queda nos índices. Em novembro de 2020, foram contabilizadas 342 mortes. Já em dezembro esse número reduziu para 319 e, em janeiro deste ano, chegou a 306 mortes.

O foco na integração entre as áreas de inteligência e operacional fortalece novo direcionamento nas ações para o combate aos crimes no Estado. Como resultado das estratégias, este mês de fevereiro já é possível verificar uma tendência de redução de CVLIs em comparação ao mesmo mês de 2020”.

Somam-se a essa lista de vítimas da violência, no ano atual, três jovens – dois do sexo masculino e uma do sexo feminino – ainda não identificados, que foram espancados e mortos a tiros, no Vila do Mar. Um vídeo da ocorrência mostra várias pessoas participando do ataque criminoso.

Outras duas pessoas do sexo feminino – uma mulher de 24 anos e uma adolescente de 16 anos – também ficaram feridas, foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levadas ao Instituto Doutor José Frota (IJF) sem risco de morte.

Um sexto integrante do grupo atacado segue desaparecido. Após receber informações de que pelo menos um corpo estaria enterrado na praia, a Polícia Militar do Ceará (PMCE) e o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (PMCE) realizaram buscas, com o auxílio de cães farejadores, durante a tarde de ontem – próximo aonde os outros três corpos foram localizados – mas nada foi encontrado. O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil do Ceará (PCCE).

Buscas

“Estamos aqui desde o ocorrido, nas buscas. Encontramos os corpos ontem à noite (segunda-feira), hoje pela manhã encontramos o corpo de mais uma vítima. Estamos aqui colhendo informações de um desaparecido. Tivemos acesso via Ciops que pessoas da comunidade informaram que teriam três corpos enterrados nesse perímetro da praia. Mas trabalhamos com a hipótese de um ou dois corpos”, revelou o sargento Marley, do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM), ontem à tarde. Um suspeito de participar da tentativa de chacina foi preso, ainda na manhã de ontem.

A reportagem apurou que Antônio Mariano Neto, 25, seria motorista de aplicativo e teria levado o grupo de seis pessoas do bairro Papicu para o Vila do Mar, ocasião em que teria passado essa informação para integrantes de uma facção criminosa rival. Antônio Mariano é suspeito de homicídio, tráfico de drogas, formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo.

Ele havia sido preso em flagrante em 9 de maio do ano passado, também na região da Barra do Ceará, na posse de um revólver calibre 38. Mas foi solto em plantão da Justiça Estadual (em substituição à audiência de custódia), no dia seguinte, com a aplicação de medidas cautelares, como o uso da tornozeleira eletrônica.

Outros presos

Outras quatro pessoas suspeitas de participação nas mortes e tentativas de homicídio foram presas. Os detalhes das prisões serão divulgados em coletiva para a imprensa, na manhã de hoje. 

Nota da SSPDS

Confira a nota da SSPDS na íntegra, sobre o aumento de homicídios no Estado:
“A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que o trabalho diário realizado pelas Polícias Civil e Militar do Ceará tem impactado na redução dos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) no Estado. Os últimos três meses apresentaram queda nos índices. Em novembro de 2020, foram contabilizadas 342 mortes. Já em dezembro esse número reduziu para 319 e, em janeiro deste ano, chegou a 306 mortes. O foco na integração entre as áreas de inteligência e operacional fortalece novo direcionamento nas ações para o combate aos crimes no Estado. 

Como resultado das estratégias, este mês de fevereiro já é possível verificar uma tendência de redução de CVLIs em comparação ao mesmo mês de 2020.  O resultado se dá devido à reestruturação e fortalecimento do Subsistema Estadual de Inteligência de Segurança Pública (Seisp), que tem como agência central a sua Coordenadoria de Inteligência (Coin) e abaixo dela o Departamento de Inteligência Policial (DIP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), a Assessoria de Inteligência (Asint) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e a Assessoria de Inteligência do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE). Os levantamentos de informações feitos por essas unidades subsidiam investigações realizadas pela PCCE com foco na resolução de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) e ajudam a direcionar o policiamento ostensivo feito pela PMCE. 

Outra orientação para a redução desses crimes abrangidos por esse indicador é a territorialização nas regiões onde são registrados os maiores índices de CVLI, bem como a atuação no fortalecimento da Polícia Civil nesses locais. O intuito é coibir a atuação e a disputa entre organizações criminosas.
A pasta destaca ainda que a Operação Apostos, que teve início no dia 4 de dezembro de 2020, segue ocorrendo semanalmente em pontos estratégicos, escolhidos a partir de dados extraídos pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública do Estado do Ceará (Supesp/CE). O trabalho policial é conduzido pela Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) da SSPDS. 

Com foco na tomada de decisão no combate ao crime, as Forças de Segurança passaram a utilizar o Sistema Tecnológico para Acompanhamento de Unidades de Segurança (Status), ferramenta desenvolvida pelo projeto Inteligência Científica e Tecnológica Aplicada à Segurança Pública, que é parte do Programa Cientista Chefe e fomentado pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap/CE), em parceria com a SSPDS, sob a gestão da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp).
O Status consiste no uso de inteligência analítica para analisar dados criminais, utilizando a ciência de dados, estatísticas, geoprocessamento e inteligência artificial. Por meio dela, os gestores direcionam suas ações a partir da identificação das “manchas criminais” em cada território do Estado. 
 
Por fim, somente em janeiro deste ano, as Forças de Segurança do Ceará capturaram 2.524 adultos e adolescentes em ações policiais ocorridas em todo o Estado, seja por meio de cumprimento de mandados de prisão ou em procedimentos de flagrante. Em 2020, 6.117 armas de fogo foram retiradas de circulação pelas Forças de Segurança do Estado, o que impacta significativamente as ocorrências de CVLI e dos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP). Já em relação à apreensão de drogas, o Ceará contabilizou um aumento de 67%, indo de 5.007,13 quilos para 8.359,84, quando comparado 2019 com 2020 (janeiro/dezembro). É importante salientar também que somado a isso, houve a intensificação de investigações contra grupos criminosos que resultaram nas prisões de chefes e também na desarticulação do patrimônio desses coletivos criminais, bem como na desestruturação do seu poderio financeiro”.

📸 José Leomar

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários