Bolsonaro deve anunciar a Biden mais recursos para fiscalizar Amazônia


 O presidente Jair Bolsonaro deverá anunciar em seu discurso de três minutos da Cúpula do Clima na quinta-feira a ampliação do orçamento para o Ministério do Meio Ambiente, mais especificamente para as áreas de fiscalização. 
Além disso, o presidente vai reiterar os termos da carta encaminhada ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, como o fim do desmatamento ilegal até 2030 e a possibilidade de redução da neutralidade carbônica. Também deverá abordar a possibilidade de cooperação econômica com o setor privado.

A ampliação do orçamento, porém, é tratada pela diplomacia brasileira como o grande anúncio, muito embora não esteja previsto o percentual de aumento. O motivo alegado por interlocutores do presidente é que ainda não está sancionado o orçamento deste ano. O certo, porém, é que órgãos como Ibama e ICMBio deverão ser contemplados.

Na semana passada, mais de uma dezena de senadores democratas pediram ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para segurar a assistência financeira ao Brasil, a menos que o país demonstre que está reduzindo o desmatamento na Amazônia e combatendo crimes ambientais.

Os senadores alertaram Biden para ser cauteloso com as promessas de Bolsonaro. O desmatamento na porção brasileira da floresta amazônica disparou sob o governo Bolsonaro, atingindo o maior nível em 12 anos em 2020.
O Itamaraty tem recomendado o Planalto a apresentar na breve medidas concretas e que a participação de Bolsonaro no encontro possa reverter a imagem do país no exterior.  A ação do governo na reunião será combinada com a ida do novo ministro das Relações Exteriores, Carlos França, na Câmara dos Deputados no mesmo dia para prestar esclarecimentos aos deputados sobre a nova política externa.

📸 CNN (5.ago.2020)

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários