Delegado cearense é morto a tiros durante cumprimento de mandado de prisão em Pernambuco


O delegado cearense Anderson Liberato, de 32 anos, foi morto a tiros ao cumprir mandados de prisão contra um casal suspeito de homicídio, na manhã deste sábado (17), no município de Jataúba, no Agreste de Pernambuco.
Anderson era natural de Fortaleza. Em janeiro de 2018, saiu da Capital para assumir como titular da Delegacia de Polícia Civil de Brejo da Madre de Deus, distante cerca de 220 km de Recife.

Ele deixa a namorada Tâmara Xavier, de 33 anos, a mãe Andressa Liberato Alves, de 62 anos, o pai José Flávio Alves do Nascimento, de 58 anos, e a irmã Andressa Liberato Alves do Nascimento, de 19 anos.

“Anderson espalhava alegria por onde passava. Tinha muitos amigos e todos o amavam muito. Ele era uma pessoa incrível e de bom coração. Um ótimo filho e um ótimo irmão”, lamentou Andressa.

O traslado do corpo ocorre neste domingo (18). O velório ocorreu às 13h, na Funerária Ternura, em Fortaleza. O enterro será no cemitério Parque da Saudade.

Circunstâncias do crime

Acompanhado da equipe da delegacia de Brejo da Madre de Deus, Anderson estava cumprindo mandados de prisão contra uma mulher e um homem acusados de homicídio.
No momento da abordagem, o homem disparou três vezes contra o profissional. Houve, então, troca de tiros e o suspeito ficou ferido. O cearense chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Suspeito também morreu

Conforme o jornal Diário de Pernambuco, o suspeito, que ficou ferido no confronto, foi morto enquanto era transferido para o Hospital Regional do Agreste (HRA), em Caruaru.
No trajeto para a unidade hospitalar, homens armados teriam abordado a ambulância para matá-lo. A equipe médica não foi atingida.

Notas de pesar

A Polícia Civil de Pernambuco disse que “a morte de Anderson representa uma grande perda para a Corporação”.
“A PCPE manifesta as mais sinceras condolências aos familiares, amigos e companheiros de trabalho nesse momento de profunda dor”, disse em nota.

Associação de Polícia Científica de Pernambuco (APOC-PE) também lamentou a morte do profissional. “Ficam a lembrança, o respeito pelo legado que Anderson Liberato deixou e o agradecimento por todo serviço prestado à população”, escreveu.

📸 Divulgação

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários