WhatsApp Pay deve começar a funcionar no Brasil ainda nesta terça-feira


Os pagamentos no aplicativo de mensagens WhatsApp devem começar a ser disponibilizados no Brasil ainda nesta terça-feira, 4, em parceria com empresas como Visa, Mastercard e Cielo. Segundo divulgou o site NeoFeed, o WhatsApp Pay será lançado em fases e contemplar, neste primeiro momento, apenas de 1 a 2% dos 120 milhões de usuários brasileiros.

O Facebook, empresa que controlar o WhatsApp, recebeu autorização para operar pagamentos no app pelo Banco Central no final de março – o sistema, entretanto, já funciona em países como a Índia. Questionada, a assessoria de imprensa da big tech não confirmou – nem negou – o lançamento da nova ferramenta nesta terça.

Desde a aprovação do BC, o lançamento do WhatsApp Pay já foi adiado duas vezes, a fim de garantir mais tempo de testes e experiência de usuários, transferência de estornos, entre outros, que já teriam sido resolvidos pelas equipes responsáveis.

A ferramenta terá os pagamentos realizados através das bandeiras Mastercard e Visa, com processamento feito pela Cielo.
Os usuários em São Paulo devem ser os primeiros a testar o WhatsApp Pay, que tem planos para a iniciar a segunda fase do lançamento a partir de junho, com expansão para mais duas regiões do país, e lançamento completo em julho, em todo o Brasil. A expansão, porém, vai depender do desempenho do WhatsApp Pay nas fases anteriores.

O lançamento promete gerar grande impacto sobre o mercado de pagamentos, aumentando o número de transações digitais, diminuindo a circulação de dinheiro e marcando a entrada das big techs no mercado financeiro brasileiro. Parte do mercado, entre eles os grandes bancos, teme abuso de poder financeiro, já que o Facebook é uma das maiores empresas do mundo.

Apesar das preocupações, grandes bancos do país como Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa devem adotar a nova ferramenta, já que têm atuado para ampliar a inovação e diminuir o impacto do setor digital sobre as instituições financeiras mais tradicionais.

Outro temor do mercado com o lançamento do WhatsApp Pay é quanto à segurança das informações, um “calcanhar-de-aquiles” antigo do Facebook. O WhatsApp vai reunir informações sensíveis como CPF, conta bancária, número de celular e informações de redes sociais e localização dos usuários, e agora resta saber como esses dados serão usados no futuro breve.

Segundo especialistas do mercado financeiro, o WhatsApp Pay também vai ter como concorrente o sistema de transações do Banco Central, o Pix, lançado em novembro de 2020 e que já foi adotado por 70% da população bancarizada no país. Por outro lado, vai dar mais espaço para as bandeiras de cartões de pagamentos, que foram impactadas pelo sistema de pagamentos instantâneos.

Foto: SOPA Images/Getty Images

Fonte: Exame

Postar um comentário

0 Comentários