Ceará mantém orientação para que grávidas que receberam 1ª dose de AstraZeneca tomem a 2ª depois do parto


Gestantes que tenham tomado a primeira dose da vacina AstraZeneca contra a Covid-19 no Ceará deverão esperar até 45 dias após o nascimento da criança para receber a segunda dose. A orientação está mantida pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa-CE), a qual orienta os municípios desta forma, tendo como base recomendações do Ministério da Saúde, por meio do Plano Nacional de Imunizações (PNI).

Nesta terça-feira (29), a Prefeitura do Rio autorizou que grávidas que tomaram a vacina da AstraZeneca na primeira dose recebam a da Pfizer na segunda aplicação. É a primeira capital brasileira a adotar a combinação de imunizantes.

Após recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Governo do Ceará suspendeu a aplicação da vacina desenvolvida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em maio deste ano. Segundo a Anvisa, há sinais de eventos adversos ocorridos em função da vacinação neste público.

No Ceará, a Sesa disse que segue o PNI, o qual determina que “as gestantes e puérperas (incluindo as sem fatores de risco adicionais) que já tenham recebido a primeira dose da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz deverão aguardar o término do período da gestação e puerpério (até 45 dias pós-parto) para a administração da segunda dose da vacina”.

Segundo a nota técnica da secretaria estadual, a determinação na suspensão não interfere na imunização de grávidas que tomaram CoronaVac ou Pfizer.

Municípios

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Fortaleza informou que irá seguir o PNI e as recomendações da Sesa de aplicação após os 45 dias do parto. A Sesa informou, em maio, que 389 gestantes haviam tomado a AstraZeneca em Fortaleza. A gestão municipal informou que todas as vacinas aplicadas neste grupo foram em profissionais da saúde que estavam grávidas.

A Secretaria Municipal de Saúde de Sobral, município do Norte do Estado, informou que irá seguir a nota técnica da Sesa, que indica o mesmo período para aplicação da segunda dose. De acordo com a assessoria de comunicação, será aplicada a vacina que for indicada pela Anvisa. Em Sobral, 866 mulheres estão nesta situação.

Já em Pindoretama, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), apenas sete gestantes receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca, em maio, antes da suspensão da aplicação. Segundo o secretário da saúde do município, Rilson Sousa de Andrade, desde então não são administradas doses desse laboratório para grávidas. “Ela não é mais liberada para gestante. A gente vai aguardar o parto e, depois dos 45 dias, vamos aplicar a Pfizer ou CoronaVac”, afirmou.

Foto: André Costa

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários