Homem que matou escrivão dentro de delegacia no Ceará é transferido de São Paulo para Fortaleza


O suspeito de matar o escrivão da Polícia Civil do Ceará, Josivan Lopes Silva, de 30 anos, foi transferido, na noite desta sexta-feira (11), de São Paulo para Fortaleza.
Segundo a polícia, após passar 37 dias foragido das autoridades cearenses, o homem indiciado como autor do homicídio do escrivão Aloizio Alves de Lima Amorim, no último dia 30 de abril, no município de Tauá, será conduzido ao sistema penitenciário do Ceará, onde ficará recluso.

Josivan Lopes Silva foi preso no último domingo (6) em São Bernardo do Campo, em São Paulo, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Ceará (SSPDS).
Enquanto estava preso na delegacia de Tauá, no interior do estado, o criminoso pegou a arma do escrivão Aloísio Alves Lima, de 60 anos, e matou o agente durante um depoimento, na madrugada de 30 de abril. Em maio, a polícia havia apreendido uma adolescente de 16 anos, namorada do suspeito, na cidade de Paraipaba.

Josivan foi incluído na lista dos foragidos mais procurados do Ceará no dia 1º de maio. Conforme o Programa Estadual de Recompensa, informações que levassem à prisão dele resultariam no pagamento de R$ 10 mil.
Uma câmera de segurança flagrou o momento que o assassino do escrivão caminha algemado e armado por uma rua no dia do crime.

Buscas

As buscas por Antônio Josivan Lopes Silva ocorreram em uma área de mata em Tauá, no interior do Ceará, cidade onde o crime aconteceu e em cidades vizinhas, até descobrir que o criminoso estava em São Paulo.
O crime aconteceu na madrugada da última sexta-feira (30), quando o escrivão Aloísio Alves registrava o depoimento do suspeito, que havia sido preso na cidade de Pedra Branca, por tráfico de drogas.

Flagrado em rua

Um vídeo de câmeras de monitoramento flagrou o momento que o assassino do escrivão caminha algemado e armado por uma rua após cometer o crime durante um depoimento.

Nota de pesar

O Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol/CE) divulgou nota de pesar pela morte do escrivão. Conforme o Sinpol, Aloísio estava lotado em Tauá, mas já trabalhou no município do Crato. Segundo o Sindicato, o agente “era conhecido pela simpatia e gentileza com todos”.
“Nossos sinceros sentimentos à família enlutada e a todos os irmãos Policiais Civis, que Deus conforte a todos”, diz um trecho da nota.

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários