Lula deve vir ao Ceará em julho na mira de alianças para candidatura em 2022


Com agenda confirmada para o mês de julho no Nordeste, com visitas agendadas na Bahia e em Pernambuco, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também virá ao Ceará em nome de diálogos em torno de uma possível candidatura em 2022 à presidência da República.

A expectativa é a de que o tour pela região aconteça em duas etapas, começando ainda na primeira quinzena de julho. “Serão conversas políticas, sem relação com eleição. O presidente Lula quer debater sobre desenvolvimento regional, o combate à fome e a luta por vacinas”, afirma Márcio Macêdo, vice-presidente nacional do PT.

Na lista de compromissos de Lula estão encontros com o governador Camilo Santana, seu correligionário, e Eunício Oliveira (MDB/CE), que chegou a afirmar este ano que, caso a sigla não tenha candidatos, votará no ex-presidente.

“A ideia dessas agendas [do ex-presidente Lula] fora dos estados é conversar com as lideranças do PT e com as lideranças de fora do PT […] Muito semelhante ao que ele fez no Rio de Janeiro, em que ele reuniu figuras do DEM, PSD, PSB, PSOL, PCdoB. Enfim. Ele está fazendo agendas que ele reúne com líderes religiosos, empresários, reuniões bem amplas, sempre respeitando as normas da pandemia.”, disse.

Derrotado na onda bolsonarista de 2018, Eunício tem planos de voltar ao Senado, mas pode disputar até o Governo do Ceará. Para isso, tem conversado com setores do PT que trabalham por um palanque fiel para Lula no estado.

Visita

Além de alinhar o discurso com a base e motivar a tropa de militantes, a viagem também tem como objetivo estreitar as conversas com potenciais aliados na região.

Líderes locais de PSB e MDB serão os principais alvos. Os dois partidos se distanciaram do PT ao longo dos últimos anos e apoiaram majoritariamente o impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT) em um processo que deixou feridas abertas pelo caminho.

As tratativas ocorridas nos últimos meses vêm reforçando a tese de que Lula pretende, de fato, ser candidato, atenuada no último final de semana, com a ausência do presidente a manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), apoiadas pelo PT.
Com informações de Folhapress

Foto: Rahel Patrasso/Reuters

Fonte: Portal Badalo

Postar um comentário

0 Comentários