Aulas em escolas particulares do Ceará devem permanecer com ensino híbrido após férias de julho, diz sindicato


As aulas nas escolas particulares do Ceará devem permanecer com ensino híbrido (variando entre presencial e remoto) após as férias de julho, conforme orientação do Sindicato dos Estabelecimentos de Educação e Ensino da Livre Iniciativa do estado do Ceará (Sinepe-CE), devido ao momento que o estado vive com relação à pandemia de Covid-19.

A entidade afirma que está na preparação para o retorno dos estudantes em agosto seguindo as medidas do Governo do Ceará, e classificou o primeiro semestre de 2021 como “um período de muitos desafios, mas também de muitos aprendizados, para toda a comunidade escolar”.
“Mesmo assim, precisamos nos organizar para que o 2º semestre seja o mais produtivo possível, tanto no âmbito das orientações de biossegurança quanto no planejamento do modelo pedagógico”, comenta o sindicato, por meio de nota.

Entre as principais orientações para o retorno às aulas após as férias, o sindicato aponta:

Obrigatoriedade do uso de máscaras por colaboradores, professores, alunos, pais e visitantes — exceto crianças menores de 3 anos;

Ficar em casa quando algum familiar apresentar qualquer sintoma de doença (febre e/ou sintomas gripais); nestes casos os alunos também não deverão ir à escola, mesmo que não apresentem sintomas;

Higienizar frequentemente as mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%;

Sugere à família que viajou para outros Estados durante as férias realizar o teste de Covid-19 ou cumprir um período de quarentena voluntária antes de mandar as crianças à escola.

O Sinepe-CE aconselha ainda que as avaliações dos alunos seja feita de forma presencial. “Publicamos uma carta aberta à sociedade informando sobre os prejuízos das avaliações remotas (fraude, queda no estímulo aos estudos, etc.). Aproveitamos o início do 2º semestre para reforçar nosso pleito para que as famílias busquem as avaliações presenciais e o consequente ganho de fidedignidade no acompanhamento do aprendizado discente”, explica a entidade.

O sindicato orienta ainda às famílias para que fiquem atentas aos calendários de vacinação tanto da Covid-19 quanto da gripe (H1N1), para evitar novas contaminações no ambiente familiar e o afastamento preventivo obrigatório de alunos durante período de quarentena. “Colaborar com a vacinação significa colaborar com a educação”, reforça o Sinepe-CE.

Foto: Camila Lima/SVM

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários