Ceará tem maior proporção de mulheres vítimas de homicídio no país, diz Anuário da Segurança


A taxa de homicídios femininos no Ceará chegou a 20,7 por 100 mil mulheres, um índice que é “mais do que o dobro do que a taxa em qualquer outro estado”. O dado é do Anuário da Segurança e foram divulgados nesta quinta-feira (15) pelo Fórum Brasileiro e são referente a 2020
No estado, 8,2% de todos os assassinatos de mulheres foram classificados como feminicídios (quando a motivação da morte está ligada à condição de ser mulher), percentual muito inferior à média nacional de 34,5%.

“Isso indica que é provável que muitos casos de feminicídios tenham sido classificados erroneamente apenas como homicídios”, conclui a pesquisa.

Violência doméstica

Em todo o Brasil, foram registrados pelo menos 230.160 casos de violência doméstica contra mulheres, mas esses dados não incluem os números do Ceará.

Conforme o estudo, “230.160 mulheres denunciaram um caso de violência doméstica em 26 UFs, sendo o Ceará o único estado que não informou. Isto significa dizer que, ao menos 630 mulheres procuraram uma autoridade policial diariamente para denunciar um episódio de violência doméstica.”

Ceará tem maior taxa de homicídio

O Ceará teve também o maior crescimento na taxa da mortalidade se comparados os números de 2019 e 2020. A taxa de mortalidade considera o número de assassinatos em proporção ao número de habitante. No Ceará, esse aumento foi de 75,1%.

“E, já é consenso, que isso ocorreu pela conjunção de fatores desencadeados pelo motim da Polícia Militar no estado, que desarranjou a cena local da criminalidade e as políticas públicas que estavam em curso e que faziam do estado um dos principais responsáveis pela redução da taxa nacional em 2018 e 2019.”, diz o estudo.

Ainda conforme o Fórum, esse “desarranjo político” deu margem para planos de expansão de uma facção criminosa iniciar ações ofensivas contra o maior bando rival.

Foto: Honório Barbosa/ SVM

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários