Pizzaiolo de Missão Velha prepara pizza de pequi e atrai clientes de vários estados


Um dos lanches mais tradicionais na hora da fome, a pizza permanece até hoje na escolha dos consumidores. Ainda assim a inovação dos pizzaiolos sempre oferecem novos e exóticos sabores. E no dia mundial da pizza, comemorado neste sábado (10), o G1 conversou com o dono de uma pizzaria no interior do Ceará que resolveu usar um ingrediente típico do cerrado brasileiro: o pequi.

A iguaria é servida também junto com pizzas de outros sabores, como calabresa, mussarela e carne do sol. Além de clientes da região, pessoas de outros estados como Maranhão, Rio de Janeiro e São Paulo já foram atraídos pela novidade.

A especialidade é servida por Francisco Edilson Pereira, 43 anos, conhecido como Tílon. Ele comanda a cozinha da Lanchonete Amalicia, em Missão Velha, município da Região Metropolitana do Cariri, a cerca de 500 km de Fortaleza. Tilon já administra o empreendimento, inaugurado há cerca de sete anos e, em todo esse tempo, sempre colocou a criatividade na hora de fazer as receitas.

Tilon diz que a ideia para a pizza de pequi surgiu de uma recordação da infância, e também a partir do pedido de um cliente de Fortaleza. “Fui criado na lavoura e minha mãe sempre preparava pratos com pequi, ela o usava para fazer arroz, baião de dois, caldo entre outras coisas. Um dia um cliente de Fortaleza disse que estaria vindo para Missão Velha e perguntou se tinha pizza de pequi, a partir daí tive a ideia de fazer”, relata.

Para o pizzaiolo, o preparo da pizza especial é simples. “Cozinho o caroço, que depois é colocado na borda, e faço o molho da pequizada, que uso em substituição ao extrato de tomate. Mesmo em pizzas de outros sabores, o pequi sempre está presente, os clientes adoram”, diz.

No cardápio, o cliente encontra outros tipos de bordas diferenciadas, como a pizza com borda de coxinha, que é um sucesso da pizzaria desde 2017, frente a outras opções, como borda vulcão, borda de camarão ou de hot dog, outra invenção do empreendedor. Atualmente a pizza quadrada que pode servir de 12 a 16 pessoas é a mais pedida pelos frequentadores do estabelecimento.

Tilon diz que não costuma fazer divulgação da pizza de pequi, apenas deixa a opção no cardápio para os clientes que gostam desse sabor. “É uma fruta que não dá o ano inteiro, então tenho cuidado de nunca faltar. A colheita é entre o final de dezembro e vai até março. A gente estoca, armazena e congela para nunca faltar”, explica.

A pizza de pequi, em tamanho médio, custa R$ 24. Se o cliente preferir um tamanho maior, paga R$ 34. Já quem preferir provar a outra novidade, a pizza quadrada de 12 fatias, custa R$ 50, enquanto a de 16 fatias sai a R$ 60.
Tilon não pretende parar de inovar nos sabores de suas pizzas. Devido à pandemia de Covid-19, houve uma paralisação na criação de novos sabores, mas nos próximos meses promete novidades no cardápio para os clientes.

“Trabalhamos mais com os produtos que a gente tem, a pandemia para mim, teve o lado bom e o ruim, mas ela trouxe dificuldades no sentido de inovações. Mesmo assim, a partir de agora vou ver nos meus planejamentos alguns sabores novos para lançar para meus clientes”, finaliza.

Fotos: Edson Freitas

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários