Professor faz sucesso com áudios para começar as aulas de forma descontraída


A mudança na rotina escolar provocada pelo distanciamento social fez com que professores buscassem alternativas diversificadas e inovadoras para obter a atenção e o engajamento dos alunos nas atividades. Era preciso encontrar formas de manter o ritmo da aprendizagem, mesmo remotamente, além de reforçar os vínculos afetivos, uma vez que tanto o aspecto cognitivo como o socioemocional dos jovens precisam ser considerados, a fim de minimizar os prejuízos ocasionados pela pandemia.

Pensando nisso, o professor Octavianus Cesar Silva, da Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) Paulo Ayrton de Araújo, em Fortaleza, criou uma estratégia inusitada para se comunicar com os estudantes da turma da qual é padrinho, o 9º ano – A.

A cada dia, pela manhã, os alunos recebem um áudio no grupo de Whatsapp da turma, para começar as atividades. Até então, nada de mais. Porém, as produções sonoras, que são sempre inéditas, contêm mensagens alegres e positivas, num tom descontraído, criativo e ao mesmo tempo cativante, sem perder de vista o conteúdo.

Outro diferencial é a inserção de backgrounds (músicas que ficam tocando, ao fundo, enquanto o professor fala), colocados de maneira artesanal, no momento da gravação.
“No ano passado, cada professor ficou responsável por uma turma. Acompanhávamos os alunos por meio de grupos de whatsapp. Neste ano, continuamos com o trabalho, mas a minha experiência mudou. Para poder interagir mais com os alunos, desde fevereiro, tive a ideia de ficar colocando áudios para abrir o grupo”, explica.

Aprimoramento

No início, Octavianus relata que se concentrava apenas em dizer quais eram as atividades do dia. “Aos poucos, fui acrescentando músicas como pano de fundo aos áudios, todas com viés temático. Tentava relacionar as canções com os estudos, ou com a época em que estávamos, como Dia das Mães, Dia da Mulher, Dia dos Namorados, temas de filmes ou séries e, por último, um mês inteiro com músicas juninas”, lembra.
A atenção ao calendário e aos assuntos que são de interesse dos jovens possibilita ao professor trabalhar com uma ampla variedade de assuntos, sem ser repetitivo.

“De vez em quando, um aluno me dá retorno dizendo que gostou do áudio, seja pelas informações que eu trouxe, ou por ter achado a música bacana. Quando utilizei música pela primeira vez, estava no carro e naquele momento tocava na rádio uma música do Djavan, que dizia: ‘eu levo a sério, mas você disfarça’ – e eu aproveitei a frase para comentar que ‘eu levo a sério os estudos, mas tem gente que não está levando’, e aí foi”, esclarece.

Hoje, Octavianus utiliza dois celulares e um tablet para fazer a produção do conteúdo sonoro. Em dois aparelhos, ele deixa as músicas “no ponto” de tocar, e no outro, faz a gravação propriamente dita.

O método vem funcionando tão bem que professores padrinhos de outras turmas da unidade de ensino vêm solicitando o apoio de Octavianus para que também grave áudios destinados a seus grupos.

“Comecei fazendo a experiência apenas com a turma da qual sou padrinho. Mas, também mandei o material aos colegas professores, perguntando o que achavam. Alguns deles pediram que eu fizesse áudios genéricos, que servissem para outras turmas, e assim eu passei a fazer. Todos os dias, desde então, tenho feito dois áudios, sendo um mais específico para a minha turma, e outro mais geral”, observa.

Resultado

Embora a ação demande uma atribuição extra ao professor, ele considera que o trabalho tem valido a pena. “Toda iniciativa que consiste numa tentativa de interação com os alunos é bem-vinda. Nenhuma delas vai substituir a presença física em uma sala de aula, mas é importante amenizar os efeitos deste período. Trabalho um pouco com a vertente do humor, e de vez em quando coloco uma mensagem mais séria, mas sempre procuro fazer com que os alunos tenham gosto pelos estudos”, conclui.

Leonardo Ferreira, de 14 anos, avalia que a forma descontraída de apresentar os assuntos tornam o conteúdo mais fácil de assimilar. “Os áudios são sempre legais e bem explicativos, e o melhor é que sempre tem uma música, que deixa tudo mais fácil de acompanhar, sem contar que tem vezes que é engraçado”, revela.

Maria Eduarda Nascimento, de 14 anos, também aprova a ideia. “Gosto muito dos áudios que ele manda, e me sinto incentivada a fazer as tarefas. Quando preciso atrasar uma, converso com ele e dá tudo certo. É um dos professores de que mais gosto”, admite a jovem.

Octavianus Cesar também ensina na EEFM Almirante Tamandaré, situada na capital cearense. Nesta unidade, os áudios produzidos por ele “viralizaram”, da mesma forma, entre as turmas nos grupos de Whatsapp.

Escute aqui alguns dos áudios do professor:

Foto: Divulgação

Fonte: Governo do Ceará

Postar um comentário

0 Comentários