Ceará imunizou 17% da população adulta com duas doses após sete meses de vacinação contra Covid-19


O Ceará atingiu 17,75% da população adulta (acima de 18 anos) completamente imunizada contra a Covid-19, após sete meses do início da vacinação no estado. Os dados de aplicação de primeira (D1) e segunda dose (D2) são contabilizados pelo IntegraSUS, plataforma da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

A vacinação no estado começou no dia 17 de janeiro, quando a técnica de enfermagem Maria Silvana Souza Reis, de 51 anos, foi a primeira a receber uma dose do imunizante. Ela foi vacinada no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza.

Ainda sobre a população adulta, o Ceará vacinou 42,92% com a primeira dose.
Já em relação à população em geral, 33,88% dos cearenses receberam uma dose; e 13,87% a segunda. A plataforma não mostra os dados de aplicação da Janssen, que é dose única.
O IntegraSUS considera a totalidade da população informada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que é de 9.132.078 pessoas.

As porcentagens de D1 representam 3.093.982 imunizantes aplicados desde janeiro; já as de D2 correspondem a 1.266.697 doses.

Distribuição de doses

A Justiça Federal determinou, na manhã desta quarta-feira (18), que a União promova até 31 de agosto de a equiparação da quantidade de doses de vacinas contra Covid e o percentual que representa a população cearense na população nacional. A determinação foi do Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Em caso de descumprimento, foi fixada a pena de multa no valor de R$ 200 mil por dia.

Conforme o Ministério Público, o Ceará recebe menos dose do que deveria, considerando a população do estado. O Ministério da Saúde, as vacinas são enviadas respeitando a proporção de cada estado, mas isso não ocorre no Ceará, segundo o MP.

Enquanto alguns estados receberam o equivalente a mais de 90% da população no estado, o Ceará recebeu 71,22%, percentual, que o coloca como 23º estado em números de doses distribuídas em relação à sua população.

Conforme o G1 publicou nesta terça-feira (17), o Ceará é o estado que tem a menor cobertura vacinal do país com a primeira dose. Mais de dois milhões de pessoas no estado não receberam nenhuma das doses do imunizante contra a Covid.
Ainda segundo a decisão, em 1º de setembro de 2021, União deve informar o cumprimento da decisão, com a indicação dos quantitativos de imunizantes enviados ao estado e respectivo percentual da população.

A decisão atende a uma ação civil pública de 4 de agosto, pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPT) para que a União revise a metodologia de remessa de vacinas e envie as doses de forma proporcional ao total da população em geral do Ceará e de outros estados do Norte e Nordeste.

Pedido de 1,4 milhão de vacinas

A ação do Ministério Público pediu que fosse feito o envio de 1.440.932 de doses adicionais de vacina para corrigir o déficit decorrente das doses enviadas a menos nos grupos prioritários de idosos e profissionais de saúde, porém, a determinação da Justiça Federal não cita quantidade de vacinas, mas ordena que haja equiparação.

Para o MP, o número insuficiente enviado nos últimos meses demonstra tratamento discriminatório na distribuição de vacinas.
Caso fosse necessário estender o prazo para a União se manifestar, a ação requereu que fosse fixado prazo de 24 horas, inclusive em plantão, diante da urgência da demanda.

Foto: Marina Alcânatara/G1 / Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários