Ex-companheiro que matou vendedora em ótica em Milagres será levado a júri popular


O acusado de matar a própria mulher, a vendedora Cícera Samires, dentro de uma ótica no Centro de Milagres, no interior do estado, será levado a júri popular, segundo decisão da Justiça estadual, proferida na terça-feira (17) e divulgada nesta quinta-feira (19).

Além do crime de feminicídio, Hélio Adelino da Silva também teria tentado matar a amiga da ex-mulher. A decisão é do Juízo da Vara Única da Comarca de Milagres. O acusado foi ouvido em audiência no início de agosto na primeira fase do julgamento.

O feminicídio ocorreu na manhã do dia 10 de novembro do ano passado. Conforme a Polícia Militar do Ceará (PMCE), a vítima estava no trabalho, uma ótica no Centro de Milagres, quando Hélio chegou ao local em um carro, entrou na ótica e atirou contra ela. Cícera Samires ficou caída na parte interna da loja e uma ambulância do Samu foi acionada para socorrê-la. A mulher chegou a ser levada para uma unidade hospitalar, porém, não resistiu aos ferimentos.

Nove meses após o crime, Adelino segue preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. Ele foi detido dois dias após o crime.

Ação do Ministério Público

O Ministério Público do Ceará entrou com ação argumentando que o acusado deve ser julgado pelo Tribunal de Júri, pelos crimes praticados e por ter confessado a autoria do feminicídio. A defesa de Hélio da Silva refutou a tese de tentativa de homicídio contra a amiga da ex-esposa e pediu a suspensão da prisão preventiva e a aplicação de medidas cautelares.

Na sentença, o juiz Diogo Schenatto Irion entendeu ser necessário manter a prisão preventiva de Hélio da Silva “para garantir a ordem pública em razão da gravidade concreta do delito e também para proteger a integridade física da segunda vítima e das testemunhas do caso que ainda poderão ser ouvidas em plenário”.

O crime de feminicídio, além de ser classificado como delito hediondo, teria sido, em tese, praticado pelo acusado com violência e gravidade, durante o dia, em horário comercial e no centro da cidade de Milagres, demonstrando a ausência de respeito pela vida.

O juiz Diogo Schenatto considerou, na sentença, haver indícios suficientes de autoria para que o denunciado seja submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri, pelos delitos de feminicídio consumado e tentativa de homicídio, esclarecendo que compete ao júri popular a analise aprofundada e a decisão definitiva.

Um dia antes de ser assassinada no local de trabalho no Centro da cidade de Milagres, Cícera Samires dos Santos Souza teve todas as roupas rasgadas pelo ex-companheiro, e gravou um vídeo mostrando o caso.

Após ter as roupas danificadas, Cícera procurou a polícia e denunciou o ex-marido. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Ceará, uma medida protetiva em favor da vítima foi solicitada à Justiça. Porém, antes que fosse expedida, o suspeito a matou no local de trabalho.

Vários populares estavam próximos ao estabelecimento no momento em que o crime aconteceu e chegaram a ouvir os tiros e flagrar quando o homem fugiu do local.

Segundo a polícia, Hélio Adelino estava em um veículo branco, localizado após o crime, abandonado em uma área de mata.

Foto: Reprodução / Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários