Médico radiologista explica que é comum o surgimento de linfonodos nas axilas após vacina contra Covid-19


 

Dr Gustavo Saraíva, da Medimagem, orienta que mulheres que tomarem Pfizer precisam aguardar um mês para fazer exame de mamografia

Pesquisas realizadas com os imunizantes contra a Covid-19 mostraram que algumas vacinas causam uma reação comum caracterizada pelo aumento dos gânglios localizados na região da axila, chamado de linfonodos aumentados, que é super comum no corpo humano, pois ele é responsável pela defesa do organismo.

Médico radiologista, Dr Gustavo Saraíva

O médico radiologista da Medimagem, Gustavo Saraíva, destaca que os estudos perceberam tais alterações nas vacinas da Moderna, que não é aplicada no Brasil, e na Pfizer. “A vacina da Moderna desencadeou linfonodomegalia em 12% das mulheres que tomaram o imunizante. No Brasil, a única vacina que pode desenvolver é a Pfizer, mesmo sendo muito segura”, disse.

Ele ainda recomenda que as mulheres que foram imunizadas com doses da Pfizer, que só realizem os exames de mamografia após um mês de vacinadas, pois antes desse período pode ocorrer linfonodo axilar comprometido com o aumento do volume e assim ser evidenciado no exame. Destaca-se, mais uma vez, que isso é super comum e se caracteriza como um mecanismo de defesa do organismo em relação vacina.

Assessoria ComMonike

Postar um comentário

0 Comentários