Vacinas são eficazes contra a variante delta”, diz médico do Cariri


No Brasil já são quase 500 casos da Cepa, e 25 óbitos já foram contabilizados. No Ceará, os primeiros casos foram registrados no fim de julho, já somam 15 casos confirmados.

Muito tem se falado da variante Delta que vem se alastrando o pelo mundo e preocupando a população que teme pelo aumento da doença. Mas, afinal o que é essa variante? É uma mutação, ou seja, uma versão nova do coronavírus.

“As variações virais são mudanças que ocorrem no material genético e que refletem nas proteínas desse vírus. As variações geralmente ocorrem em relação ao coronavírus na proteína S que é a proteína de ligação, porém, ela não pode ser muito brusca, se não ela perde essa ligação do receptor celular. Essa mudança poder ser para que o vírus se adapte ao hospedeiro e que ele consiga sobreviver”, explica Cícero Inácio Alergoimunologista.

De acordo com um estudo realizado pela Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde os principais sintomas entre os casos positivos para a cepa. São eles: Perda de olfato, Tosse, Perda de paladar, coriza, febre, dor muscular, de cabeça, de garganta e nas costas.

Muitos questionamentos estão acontecendo em relação a essa variante ser mais infectante do que as outras, O médico Cícero Inácio diz que “Em alguns países que já circulam há muito tempo como no Reino Unido, pelo menos lá, as publicações mostram que ela é um pouco mais infectante que a variante alfa, porém, a gravidade e letalidade ainda não se tem nada a respeito, podemos considerar ser iguais as outras variantes”.

Por ela ser mais infectante à preocupação hoje é se as vacinas aplicadas são eficazes contra a Delta?
“Todas as vacinas de renome tem proteção contra a variante delta, Aztrazeneca, Pfizer , Janssen, inclusive, tem uma publicação da BPC que fala que ainda tem o pé atras em relação a Coronavac. Até porque ainda não foi publicado nada em nenhuma revista científica a eficácia dessa vacina em relação à variante delta”, relata Cícero Inácio Alergoimunologista.

Para evitar a proliferação do vírus deve as pessoas, mesmo as que já estão imunizadas continuarem se cuidando.
“Os cuidados com a variante Delta são os mesmos, uso do álcool gel, evitar as aglomerações sem necessidades”, conta o médico Cícero Inácio.

Mais informações e entrevistas,

Assessoria Commonike
commonike.com.br

Postar um comentário

0 Comentários