Vereadora cobra mais responsabilidades e eficácia no atendimento de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA)


No mês de enfrentamento a violência doméstica, a parlamentar ainda deixou recado à todas as mulheres

A vereadora Yanny (PL) destacou que foi procurada por um grupo de mães de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) se queixando de falta de assistência por parte da prefeitura e buscando apoio para cobrar um tratamento digno para seus filhos tão necessitados de atenção por parte do poder público.

A parlamentar destacou que as queixas são variadas, desde a falta de profissionais em número suficiente para atendimento adequado da demanda, falta de alguns profissionais especialistas, tais como psicopedagogo e neuropediatra, falta de transporte para as crianças, condições precárias dos prédios destinados ao atendimento das crianças, alimentação fornecida inadequada, dentre outros.

“Desde o início de meu mandato, pautei meu trabalho na transparência e participação popular, ouvindo os anseios da população e buscando ecoar a voz do povo na Câmara de Vereadores. Destaco que o Poder Legislativo tem feito sua parte, aprovando diversas leis que buscam melhorar as condições das crianças especiais, como por exemplo a Lei n° 4792/17, que dispõe sobre o dever de inserção do símbolo mundial da conscientização do transtorno do espectro autista nas placas de atendimento prioritário, no âmbito do município de juazeiro do norte. Ou ainda a lei n° 4800/17 que institui a semana municipal de conscientização do autismo e adota outras providências, e muitas outras leis”, disse.

Além destas leis, que são específicas sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), o Poder Legislativo de Juazeiro do Norte aprovou outras leis que visam a inclusão social e a assistência às crianças que necessitam de atenção especial, como as Leis n° 3586/2009 e n° 5119/20. Também tramita na Câmara Municipal, Projeto de Indicação de Yanny que cria o Núcleo de Integração Comportamental de Juazeiro do Norte, destinado a implementar serviço especializado para a intervenção precoce e assistencial a crianças com suspeita ou diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA).

“Como se vê, o Poder Legislativo de Juazeiro do Norte tem feito seu papel, a pergunta é: o que tem feito o Chefe do Poder Executivo, já que as mães de crianças especiais relataram descumprimento às leis citadas?”, indagou. Com isso a parlamentar solicita que as Secretárias Municipais de Desenvolvimento Social e Trabalho, Educação, e Saúde informem quais serviços públicos e profissionais são disponibilizados para atendimento às crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e outras necessidades especiais. E que o Prefeito Gledson Bezerra seja informado sobre o efetivo cumprimento das Leis Municipais n° 4792/17, n° 4800/17, n° 4902/18, n° 5118/20, n° 5153/21, n° 3586/2009 e n° 5119/20.

Agosto lilás

Yanny lembra que o direito de todos e de todas precisam ser respeitados. Não existe gênero com mais direito do que outro. Todos são iguais perante a lei e merecem respeito. “Ser mulher é exercer direitos. Ser mulher é ser respeitada. Ser mulher é lutar e defender a isonomia aonde quer que ela esteja. Quando alguém agride uma mulher, contraria o direito dela. E não só. Mas de todos da sociedade, pois mostra que nesta não existe o respeito a todos e a todas”, disse.

Ela lembra que agressão é ato que não faz parte da civilização. Que pessoas civilizadas não admitem agressão a ninguém. “Portanto, mulheres merecem respeito. Neste agosto lilás devemos gritar: mulheres merecem respeito. Precisam ter seus direitos garantidos. Devemos repudiar qualquer tipo de violência contra a mulher. Como parlamentar, farei do meu mandato, instrumento de luta no enfrentamento à violência contra a mulher”, finalizou.

Postar um comentário

0 Comentários