Cartão Nacional de Saúde, o CNS, passa a ser exigido no cadastro para a vacinação contra a Covid-19 no Saúde Digital


O cadastramento para a vacinação da população em geral contra a Covid-19 no Saúde Digital, plataforma da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), mudou. O número do Cartão Nacional de Saúde (CNS), documento de identificação do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), passa a ser exigido durante a inscrição.

A numeração do Cadastro de Pessoa Física (CPF), antes obrigatória, torna-se opcional. A exigência não prejudicará a população e trará vantagens, já que, com o acesso, o cidadão também poderá acompanhar seu histórico de atendimentos nos serviços de saúde.

A secretária executiva de Vigilância e Regulação em Saúde da Sesa, Ricristhi Gonçalves, explica que as informações colocadas na base de dados da pasta possibilitam um melhor planejamento das ações de políticas públicas.

“A obrigatoriedade do cartão facilitará bastante o acesso do cidadão ao sistema, principalmente daqueles que têm dificuldade em relação à emissão de documentos. A Sesa conseguirá tera mais acesso àqueles que, por algum motivo, não realizaram cadastro”, afirma.

O acesso ao cartão é simples e pode ser feito pela internet, por meio da plataforma ConecteSUS.

“Aqueles sem acesso fácil à internet podem buscar um posto de saúde para a emissão do documento”, reforça a secretária.
É importante frisar que, quem já tomou alguma vacina ou recebeu qualquer atendimento nos serviços públicos de saúde, já possui a numeração do CNS. Pessoas que têm ou tiveram plano de saúde também possuem a sequência numérica.

O CNS permite rapidez na identificação do usuário do SUS, maior agilidade na localização do prontuário pelo número do cartão, registro de atendimentos realizados e de agendamentos de consultas e exames, por exemplo.

Foto: Divulgação / Fonte: Governo do Ceará

Postar um comentário

0 Comentários