Ceará registra diminuição de 504 mil procedimentos médicos no SUS durante pandemia de Covid-19


O Ceará teve uma redução de 504.274 procedimentos médicos ambulatoriais eletivos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) entre 2019 e 2020. A diminuição de 21% foi observada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que comparou o período entre março e dezembro de 2019 e comparou com 2020.

A redução está relacionada à pandemia de Covid-19, quando a atenção primária da saúde pública se voltou para combater o coronavírus, não apenas no Ceará, mas no Brasil como um todo.

No Ceará, as consultas nas policlínicas também reduziram, conforme o IntegraSUS, plataforma da Secretaria da Saúde do estado (Sesa), quando comparado os mesmos períodos do levantamento feito pelo CFM. Em 2019, foram 310.606 consultas nas 20 unidades estaduais, enquanto 2020 registrou 236.105 atendimentos.

O CMF atribui a diminuição às restrições de acesso aos hospitais, o contingenciamento de leitos para o tratamento da Covid-19 e o medo de pacientes em procurar ajuda médica em função da pandemia.

No Brasil, os aspectos causados pela pandemia provocaram queda de 27 milhões de exames, cirurgias e outros procedimentos eletivos – não programados ou que não são considerados de urgência e emergência.

“Uma das medidas de enfrentamento à covid-19, de reconhecimento nacional e internacional, foi a suspensão de procedimentos eletivos com o intuito de preservar equipamentos de proteção individual, preservar leitos e evitar o colapso do SUS e consequente desassistência a pacientes infectados pelo novo coronavírus”, comenta Mauro Ribeiro, presidente do CFM.

O impacto negativo nos atendimentos médicos nos ambulatórios da rede pública foi mais drástico durante os dois primeiros meses após a decretação de calamidade pública. Em abril e maio do ano passado, a pandemia baixou pela metade os atendimentos eletivos oferecidos pelas mais diversas especialidades médicas.

Foto: Reprodução / Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários