Juazeiro do Norte é reconhecida entre 15 maiores cidades do Brasil no setor de Tecnologia e Inovação


Segundo o Ranking Connected Smart Cities que busca encontrar o DNA da inovação e a melhoria territorial, o município caririense é a décima quarta cidade do Brasil no eixo fomentador de Tecnologia e Inovação.

Diante de uma sociedade que cada vez mais valoriza o conhecimento como a base de uma nova economia, a inovação se tornou um desses intangíveis a se configurar como promotor de desenvolvimento e aumento da competitividade.

Conhecida como cidade da fé e do comércio, uma vez que são promotores de dinâmicas sociais e de relevância para o PIB local, Juazeiro do Norte agora passa a ganhar destaque nacional no segmento de Tecnologia e Inovação. O reconhecimento veio por meio do Ranking Connected Smart Cities 2021, fincando a cidade na posição 14 a nível nacional e entre as 100 maiores do Brasil ao se considerar este eixo temático.

Assim, a terra do Padim é a única do interior do Nordeste a se configurar entre as 15 primeiras posições, ficando a frente de Campina Grande e Caruaru, bem como de capitais como Recife, Natal e João Pessoa. Alé, de Juazeiro do Norte, a única cidade cearense que compões o Ranking é Fortaleza que está nivelada em 7 º lugar.

Em um país com dimensões tão extensas, é de tamanha relevância mapear as cidades por meio de indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade e que são fomentadoras de um maior potencial de desenvolvimento.

O recorte de Tecnologia e Inovação do Ranking é composto por 15 indicadores, concebidos para o próprio eixo de tecnologia e inovação, bem como empreendedorismo, novos de serviços públicos e soluções ofertadas aos cidadãos, fazendo parte deste recorte.

Para a estruturação do Ranking, elaborada pela Urban Systems, foi criada uma metodologia de ponderação de indicadores, denominada de Índice de Qualidade Mercadológica (IQM).

São onze eixos e dezenas de indicadores para posicionar as cidades nas primeiras cem colocações dentro de uma visão Geral e por Eixos temáticos. No caso do Eixo Tecnologia e Inovação foram levados em consideração alguns indicadores como Fibra Ótica, Velocidade média das conexões contratadas, % de empregos formais de nível superior e também do setor de TIC e a densidade de banda larga.

É importante destacar que foram retirados do estudo, por falta de atualização, os indicadores de geração de conhecimento, produção de conhecimento (Patentes) e incentivo a pesquisa (Bolsa CNPq).

A edição de 2020 do estudo já se previa um impacto nestes indicadores, devido aos cortes para pesquisa. Entretanto, não se previa a indisponibilidade da informação. Isso mostra que muito ainda deve ser feito para que o país tenha um Sistema Nacional de Inovação consolidado.

Foto: Divulgação / Fonte: Rapadura Tech

Postar um comentário

0 Comentários