Ceará registra três óbitos por variante delta e 208 casos de infectados


O Ceará chegou a 208 casos, com três óbitos registrados, de infectados pela variante delta do coronavírus, conforme a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). O órgão disse que acompanha com atenção a expansão dos casos de infecção por variante Delta do coronavírus em residentes e viajantes no estado.

Em relação aos óbitos, o rastreamento e a busca ativa realizada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) detalha que as vítimas são três homens, com idades de 41, 45 e 69 anos.

Dois dos homens são residentes de Fortaleza, ambos sem histórico de viagem e não vacinados; o terceiro é um viajante filipino, tripulante do navio Pretty Lady, que registrou surto de Covid-19 entre os embarcados enquanto estava ancorado no Porto do Mucuripe. Não há informação de vacina aplicada nele.

208 casos de infectados

Entre os pacientes identificados com a cepa indiana, 105 são homens e 103 são mulheres, com faixa etária predominante entre 20 e 49 anos. Os dados são contabilizados nos sequenciamentos genômicos das amostras positivas de Covid-19 realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) e o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen).

Dos 208 casos identificados com variante Delta, 12 são tripulantes das Filipinas e 42 são viajantes que testaram positivo no Centro de Testagem do aeroporto da Capital. As procedências desse segundo grupo são Belo Horizonte, Brasília, Foz do Iguaçu, São Paulo, Maceió, Recife, Rio de Janeiro e México.
Do total de 208 casos, 86 pacientes relataram ter tomado pelo menos uma dose de imunizante. Destes, 46 têm as duas doses.

“A cada semana, percebemos um crescimento na quantidade de municípios com identificação de pacientes com a variante Delta, que é a que mais tem preocupado o mundo nesse momento da pandemia. Além de monitorar e rastrear esses casos, também é importante tomarmos medidas para diminuir essa transmissão viral, com objetivo de evitar espalhamento dos casos e surgimento de novas variantes”, explica Ricristhi Gonçalves, secretária executiva de Vigilância e Regulação da Sesa.

“Sensível a essa situação, a Sesa inaugurou um Centro de Testagem na Rodoviária de Fortaleza, pois percebemos que muitos pacientes positivados chegam ao Estado de ônibus e temos que acompanhar esse cenário”, complementou a secretária executiva.

Já são 37 municípios cearenses com residentes infectados por variante Delta: Aquiraz, Aracati, Beberibe, Camocim, Cascavel, Caucaia, Choró, Crateús, Eusébio, Fortaleza, Hidrolândia, Ibiapina, Icó, Iguatu, Ipaporanga, Ipu, Ipueiras, Irauçuba, Itapipoca, Jaguaretama, Maracanaú, Monsenhor Tabosa, Nova Russas, Paraipaba, Pentecoste, Poranga, Quixadá, Quixeramobim, Redenção, São Benedito, São Gonçalo do Amarante, Sobral, Tabuleiro do Norte, Tamboril, Tauá, Tianguá, Umirim.

Reforço na testagem

A unidade de testagem de passageiros no Terminal Rodoviário Engenheiro João Thomé (Rodoviária de Fortaleza) coleta amostras aleatórias de 20% dos passageiros que chegam de ônibus oriundos de qualquer cidade do Interior ou de outros estados. O posto funciona das 8h às 18h, na plataforma de desembarque.

Além da Rodoviária, a Sesa mantém funcionando Centros de Testagens no Aeroporto de Fortaleza e de Juazeiro do Norte, no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), na Praça do Ferreira, no Shopiing RioMar Kennedy e no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Somente na estrutura do Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins, mais de 26,4 mil testes já foram realizados, com 92 resultados reagentes.

Rastreamento do casos

Entre os pacientes restantes, que tiveram suas amostras coletadas em unidades de saúde ou laboratórios públicos e particulares, 56 não têm histórico de viagem, o que os caracteriza como casos de transmissão comunitária da variante Delta no Ceará.

Outros 37 informaram à Cievs que viajaram para destinos como Distrito Federal, Maranhão, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Estados Unidos. Estão sendo rastreadas as procedências em 61 casos.

Em agosto, foi identificada no Ceará a variante de preocupação Alfa (oriunda do Reino Unido) em um homem de 64 anos, residente e procedente do município de Governador Valadares (MG) e vacinado com duas doses.

A variante de interesse Mu (que surgiu na Colômbia) foi detectada em duas mulheres com idades de 45 e 47 anos, residentes de Fortaleza com histórico de viagem ao país vizinho no mês de julho. Ambas haviam tomado uma dose da vacina.

Foto: Prefeitura de São Carlos / Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários