Passaporte de vacinação deverá ser exigido em todos os estabelecimentos do Ceará


No Ceará, o passaporte de vacinação, como é chamado o documento que comprova a conclusão do esquema vacinal contra a Covid-19, deve passar a ser exigido em todo estabelecimento com circulação de pessoas. Isso inclui restaurantes, bares, academias, dentre outros. Ele também deve ser oficializado como a principal ferramenta de controle e prevenção do Governo para possibilitar as festas de fim de ano — nas quais o uso de máscara deve continuar sendo obrigatório.

A informação foi repassada pelo Estado a representantes do setor de eventos na tarde desta segunda-feira (8), em reunião na Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), no Cambeba.

“Vamos pedir esse certificado [de vacinação] para todos [inclusive, turistas]. Em academias, restaurantes, qualquer lugar que as pessoas transitem. A gente tem que localizar as pessoas que não foram vacinadas e essas pessoas não podem circular livremente, porque não é seguro para elas nem para nós”, justificou a secretária-executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria da Saúde (Sesa), Ricristhi Gonçalves.

Para o secretário de Planejamento e Gestão do Governo, Flávio Ataliba, o passaporte de vacina se mostra como uma “necessidade” para que as festas de Réveillon, por exemplo, ocorram. “Algumas medidas restritivas que ainda permanecem podem ser ‘derrubadas’ nos próximos decretos com o passaporte”, adiantou o gestor, já com aval do governador Camilo Santana (PT).

Contudo, apesar do indicativo favorável, a discussão ainda deve ser levada para deliberação na próxima reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus, que é o colegiado responsável pela tomada de decisões sobre os decretos.

“Será levada a sugestão não só para o segmento de eventos, mas para todos. Que possamos utilizar o passaporte de vacinação como um pré-requisito para que as pessoas possam frequentar diversos ambientes, inclusive aqueles que estão ainda com suas capacidades restritas”, explicou Ataliba.

Além disso, o secretário informou que ainda está em estudo a forma como o passaporte será exigido. A ideia é que as pessoas o apresentem por meio de um aplicativo para smartphone desenvolvido pelo Governo, mas outros formatos, como, por exemplo, o cartão de vacinação impresso, também devem ser permitidos.

INFLUÊNCIA DA VACINAÇÃO NO CONTROLE DA PANDEMIA

Na reunião, Ricristhi disse ainda que “estamos num momento bastante favorável” diante do que já foi enfrentado na pandemia.

“Estamos há pelo menos nove semanas em que até registramos novos casos, mas num patamar muito menor, e não estamos registrando óbitos. As internações [também] reduziram significativamente”, informou a gestora, atrelando os resultados à campanha de vacinação contra a doença.

Por outro lado, a gestora pontua que o momento é de monitoramento. Especialmente dos municípios que ainda não estão com um percentual adequado de cobertura vacinal. “Temos municípios que estão ainda muito devagar e que têm pessoas que ainda não procuraram sua segunda dose”, relatou a gestora.

“Estamos presenciando em outros países uma situação de aumento de casos e de óbitos [por Covid-19], mas esses países têm poucos vacinados, menos de 30%. Se a gente focar em ter pessoas completamente vacinadas, com cobertura homogênea em todo o Estado, a gente tem uma proteção muito maior e o risco de terceira onda reduz significativamente”, assegurou.

Foto: Istock / Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários