Prefeita de Bauru anuncia autuação de McDonald’s por banheiros multigênero


Após Suéllen Rosim anunciar a sanção a rede de lanchonetes, moradores da cidade repudiaram a decisão. Bolsonarista, ela recebeu apoio de eleitores do presidente

A polêmica sobre os banheiros multigênero de uma unidade do McDonald’s em Bauru, que tomou as redes sociais na última quinta-feira (12/11), rendeu à rede de lanchonetes uma autuação da prefeitura da cidade do interior de São Paulo. A notícia foi dada pela prefeita Suéllen Rosim (Patriota).

“Em relação a um vídeo que circula na internet sobre os banheiros de uma rede de lanchonete em Bauru, a Vigilância Sanitária esteve no local e as exigências do código sanitário do município não estão sendo cumpridas, portanto as providências foram tomadas!”, declarou no Twitter.

De acordo com o artigo 96 do Código Sanitário de Bauru, os banheiros devem “ser separados e identificados para cada sexo”. Em nota, a prefeitura afirmou que o estabelecimento foi autuado e tem até 15 dias para recorrer e apresentar justificativa. Se a manifestação não for feita ou a justificativa for rejeitada, o estabelecimento pode ser multado e interditado.

A assessoria do McDonald’s informou que promover ambientes inclusivos é um compromisso da empresa e que por isso “adotou cabines individuais e de uso independente para que todas as pessoas se sintam bem-vindas e possam utilizá-las com conforto e privacidade”. A rede também disse que está em contato com as autoridades locais para “manter suas unidades de acordo com as orientações determinadas por elas”.

O vídeo que causou a polêmica foi gravado por uma mulher, que não revela a identidade. Ela filma as portas do banheiro, que indicam o uso por pessoas de todos os gêneros. “Tem que fechar essa imundice. Eles estão fazendo isso em todas as cidades. Mas na minha cidade eu não vou permitir”, reclamou a mulher, chamando a rede de lanchonetes americana de “comunista”.

Ela continua dizendo que não quer usar o mesmo banheiro “com homem, com mulher, onde todo mundo usa o mesmo banheiro”. A placa na porta do banheiro indica, porém, que o uso das cabines é “individual”.

Veja o vídeo:

Decisão de prefeita divide opiniões; líder já foi multada por não usar máscara nas manifestações pró-Bolsonaro em SP

Moradores de Bauru repercutiram a decisão de Suéllen. Muitos desaprovaram a autuação e questionaram a agenda da prefeita. “Não tem argumento pra isso, já que o banheiro é individual. Uma porta e um vaso sanitário em cada um, o banheiro vai ser usado por um de cada vez… Parece que fazem força pra serem apenas absolutamente ignorantes. Eu não sei nem como que consegue piscar, já deve ser um esforço…”, comentou uma moradora.

“Não sabia q a prefeita trabalha pra uma desocupada e ignorante q fraca vídeo de banheiro UNITÁRIO. Com certeza vigiar banheiro de lanchonete não é um dos SEUS PROBLEMAS, mas a ignorância aí nessa cabeça oca tá Quicando no enorme vácuo”, declarou outro morador.

Um moradora mostrou decepção com a prefeita e disse que ela “tem um favoristimo ao ódio e ao preconceito e não com a justiça”.

“Prefeita, hoje a senhora errou para com teu povo… aonde já se viu a líder do município se preocupar com políticas inclusivas de bem-estar, sendo que tem viaduto na cidade à ser reparado. Me parece que a parcialidade da senhora tem um favoritismo ao ódio e preconceito, e não, com a justiça”, escreveu em resposta a Suéllen.

Outros demonstraram apoio à decisão. “Parabéns digníssima, penso como morador dessa cidade q não somos obrigados a concordar com palhaçadas de pessoas q n tem compromisso com a educação e bem estar de nossas crianças…AQUI NÃO…”, declarou um homem.

“Parabéns, prefeita. A legislação é clara. Tem que ter banheiro masculino, feminino e para deficientes. Se não cumprir, multa e em caso de reincidência, fecha”, disse outro usuário.

A postagem também foi respondida por perfis bolsonaristas de outros estados. Eles aplaudiram a sanção. “Prefeita vc tem o nosso respeito e apoio! Vamos juntos conquistar um país mais justo e livre das elites corruptas! #JairBolsonaro”, escreveu um apoiador do presidente.

“Parabéns pela Coragem Prefeita, o Povo do bem sempre estaremos GRATOS!!”, disse outro homem com bandeiras do Brasil no nome.

O apoio de eleitores do presidente da República não se restringe apenas ao caráter da pauta, já que o combate a chamada “ideologia de gênero” é uma das principais pautas do bolsonarismo. Suéllen Rosim é bolsonarista e esteve presente, inclusive, no ato pró-Bolsonaro, ocorrido em 7 de setembro na Avenida Paulista (SP).
A prefeita estava em cima de um trio elétrico, junto a outros políticos conhecidos do governo Bolsonaro e pedia a Deus “liberdade para o povo”. Em um vídeo compartilhado por ela, ela grava a multidão gritando “mito” e depois declara que está emocionada, que estava no local “representando Bauru” e que “jamais seria omissa”.

No mesmo dia, ela fez uma publicação no Instagram em que reclamava de ter sido multada pelo governo de São Paulo por não estar de máscara durante a manifestação.

“Segundo a notícia do governo do Estado de São Paulo, seremos notificados em breve, sendo assim, quando eu for notificada agirei de acordo com os recursos que a lei me permitir. Sigo adiante. A celebração foi maravilhosa e pacífica. Muitas famílias, crianças, jovens de todo país celebrando a data da nossa independência”, declarou na postagem.

Além de Suéllen, foram multados, entre outros, o presidente Jair Bolsonaro, a deputada federal Carla Zambelli, o empresário Luciano Hang e o pastor Silas Malafaia.

Correio Brasiliense

Postar um comentário

0 Comentários